Economia Petrobras aumenta em R$ 0,10 preço do litro do diesel

Petrobras aumenta em R$ 0,10 preço do litro do diesel

Valor do combustível subirá de R$ 2,1432 para R$ 2,2470 nas refinarias brasileiras a partir desta quinta-feira (18)

Petrobras

Litro passará a custar R$ 2,247 nas refinarias

Litro passará a custar R$ 2,247 nas refinarias

Sergio Moraes/Reuters

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (17) que o diesel ficará R$ 0,10 mais caro nas refinarias do país a partir de amanhã (18). Trata-se do primeiro reajuste no preço do combustível desde o dia 22 de março.

A alta de 4,84% faz o preço do combustível saltar de R$ 2,1432 para R$ 2,2470 nas refinarias. O valor corresponde ao preço que os postos pagam para comprar o diesel. Os estabelecimentos podem ou não repassar o reajuste aos motoristas.

De acordo com a Petrobras, o reajuste levou em conta "os mecanismos de proteção, através dos derivativos financeiros, e as variações de demais parcelas que compõem o PPI (Preço Paridade Internacional) com destaque para redução recente do frete marítimo".

A petroleira afirma ainda que o preço médio do diesel ao consumidor no Brasil é 13% menor do que a média global.

O anuncio do reajuste ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro dizer que não tem direito de intervir na Petrobras.

Na semana passada, quando o diesel S10 atingiu o maior valor em quatro meses aos consumidores, Bolsonaro foi alvo de críticas ao barrar o reajuste de 5,74% no preço do combustível. 

Leia mais: Diesel atinge maior valor nas bombas em 4 meses

Na ocasião, o presidente avaliava que o reajuste proposto pela Petrobras nas refinarias estava acima da inflação nos últimos 12 meses, que atualmente figura em 4,58%.

A decisão polêmica fez com que as ações da Petrobras na bolsa despencassem e fechassem a semana passada com queda superior a 8%.

Desde julho de 2017, a Petrobras aumentou a frequência dos ajustes nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias com a intenção de permitir "maior aderência dos preços do mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo e possibilitará a companhia competir de maneira mais ágil e eficiente".