Economia Preço do petróleo cai por temores com novo coronavírus e dólar forte

Preço do petróleo cai por temores com novo coronavírus e dólar forte

Contratos de referência se recuperaram nas ultimas semanas. Mas ritmo lento da vacinação gerou dúvidas na recuperação econômica

Reuters

Resumindo a Notícia

  • Preços do petróleo recuaram nesta segunda-feira (18) com dólar forte e temor por covid
  • Petróleo Brent recuava 0,28 dólar, ou 0,51%, a 54,82 dólares por barril nesta manhã
  • Já o petróleo dos EUA caía 0,13 dólar, ou 0,25%, a 52,23 dólares por barril
  • Dólar pesa sobre preços ao tornar produto mais caro para comprador que usa outras moedas
Preço do barril de petróleo recua nesta segunda-feira (18)

Preço do barril de petróleo recua nesta segunda-feira (18)

Henning Gloystein/Reuters - 24.08.2016

Os preços do petróleo recuaram nesta segunda-feira (18), com um dólar mais forte e preocupações sobre os crescentes casos de covid-19 pelo mundo pesando sobre as cotações, assim como o avanço lento das vacinações, o que compensava uma recuperação trimestral acima do esperado na economia chinesa.

Leia mais: Preço médio do etanol sobe em 12 Estados na semana passada

O petróleo Brent recuava 0,28 dólar, ou 0,51%, a 54,82 dólares por barril, às 10:50 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,13 dólar, ou 0,25%, a 52,23 dólares por barril.

"Temores econômicos induzidos pelo coronavírus, um dólar norte-americano mais forte e um sentimento mais pessimista do investidor estão todos tendo algum papel no fato de que o Brent está negociando cerca de 3 dólares abaixo do visto na última quarta-feira", disse o analista do Commerzbank, Eugen Weinberg.

Os contratos de referência do petróleo se recuperaram nas ultimas semanas devido às vacinas e com um corte inesperado de produção da Arábia Saudita. Mas o ritmo lento da vacinação levantou dúvidas sobre o quão cedo poderá se dar a recuperação econômica.

"As campanhas de vacinação, embora avançando, estão abaixo da velocidade necessária para uma rápida recuperação global no primeiro trimestre, e a retomada da demanda por petróleo será lenta", disse o chefe de mercados de petróleo da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen.

Além disso, o dólar se fortalecia pelo terceiro dia consecutivo nesta segunda-feira (18), para uma máxima de quatro semanas, o que pesa sobre os preços do petróleo ao tornar a commodity mais cara para compradores que usam outras moedas.

Últimas