Economia Prévia da inflação sobe 0,83% em junho com salto das contas de luz

Prévia da inflação sobe 0,83% em junho com salto das contas de luz

Salto do IPCA-15 faz o índice de preços acumular ganhos de 8,13% no acumulado dos últimos 12 meses, mostra IBGE

  • Economia | Do R7

Contas de luz subiram com bandeira vermelha patamar 2

Contas de luz subiram com bandeira vermelha patamar 2

Ueslei Marcelino/Reuters - 25.03.2021

A prévia da inflação oficial voltou a ganhar força e sinaliza para um aumento de 0,83% nos preços em junho, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Na análise anterior, o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - 15) apontou para um aumento de 0,44% nos preços

Com a nova alta, o indicador aponta para um aumento de 1,88% nos preços no acumulado do segundo trimestre e de 4,13% no semestre. Nos últimos 12 meses, o IPCA-15 subiu 8,13%, patamar 2,88 pontos percentuais acima ao teto da meta estabelecida para a inflação neste ano, de 5,25%.

Assim como no mês passado, a alta dos preços foi impulsionada pelo preço das tarifas de energia elétrica (+3,85%), devido à mudança na bandeira tarifária de vermelha patamar 1, com cobrança adicional de 100 kWh consumidos, para vermelha patamar 2, com taxa de R$ 6,243.

De acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), a mudança de bandeira tarifária foi necessária devido à crise hídrica que afeta o Brasil e tem exigido o acionamento das usinas termoelétricas, responsáveis pela geração de uma energia mais cara.

Houve também aumento significativo no preço dos combustíveis. Embora a gasolina (+2,86%) tenha tido uma das menores altas do grupo dos transportes – comparada ao gás veicular (+12,41%), ao etanol (+9,12%) e ao óleo diesel (+3,53%) - ela representa o maior peso e já acumula variação de 45,86% nos últimos 12 meses.

Juntas, as altas na gasolina e na energia elétrica contribuíram para mais de um terço da inflação registrada em junho, ambas com saltos de 0,17 ponto percentual na comparação com o mês anterior.

Também ajudaram para a alta de 1,35% no grupo de transportes os preços do automóvel novo (0,47%) e dos veículos usados (0,8%). Por outro lado, as passagens aéreas ficaram 5,63% mais baratas, embora o recuo tenha sido menos intenso que o observado no mês anterior (-28,85%).

Alimentos

O preço dos alimentos e bebidas também continuam subindo, mas de forma estável. De acordo com o IPCA-15, os itens do grupo subiram 0,41% em junho, valor que corresponde a uma desaceleração de 0,07 ponto percentual em relação aos ganhos de 0,48% do mês anterior.

Contribuíram para essa desaceleração os recuos nos preços das frutas (-6,44%), da batata-inglesa (-9,41%), da cebola (-10,32%) e do arroz (-1,91%). Por outro lado, as carnes (1,14%) seguem em alta. Além disso, os preços do leite longa vida (+2,57%) e de alguns derivados como o queijo (+1,99%) também subiram.

Na alimentação fora do domicílio (+1,08%), tanto a refeição (+0,86%) quanto o lanche (+1,67%) aceleraram em relação a maio, quando registraram inflação de 0,16% e 0,72%, respectivamente. O IBGE diz que o avanço pode ser explicado pelo encarecimento da carne e dos queijos, assim com a elevação dos custos de transporte e energia no período. A alimentação no domicílio, por sua vez, passou de uma alta de 0,5% em maio para 0,15% em junho.

Últimas