Economia PRF atua para normalizar rodovias bloqueadas por caminhoneiros

PRF atua para normalizar rodovias bloqueadas por caminhoneiros

Os bloqueios começaram ontem, durante as manifestações do 7 de Setembro, convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro

Agência Estado - Economia
Caminhoneiros fazem paralisação em estradas que dão acesso ao estado do Mato Grosso

Caminhoneiros fazem paralisação em estradas que dão acesso ao estado do Mato Grosso

CHICO FERREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO-08/09/2021

O Ministério de Infraestrutura informou nesta quarta-feira (8) que a PRF (Polícia Rodoviária Federal) atua para desmobilizar bloqueios de estradas realizados por caminhoneiros em 12 estados. Segundo o órgão, em outros dois estados também foram constatados "pontos de concentração" em rodovias, mas com "pautas regionais, indígenas e de produtores locais", sem ligação com o movimento dos caminhoneiros.

No boletim anterior, o ministério afirmava que a Polícia Rodoviária Federal negociava para liberar o fluxo nas rodovias até 0h desta quinta-feira (9). No comunicado divulgado às 20h40, no entanto, não há mais essa previsão. "Agentes encontram-se nos locais identificados e iniciaram o procedimento de desobstrução com a orientação de liberar todos que quiserem seguir viagem", diz o último boletim. Segundo a nota, os últimos bloqueios totais foram registrados no Rio Grande do Sul, mas eles também estavam sendo desmobilizados.

Os bloqueios começaram ontem, durante as manifestações do 7 de Setembro, convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro.

"Ao todo, foram registradas 67 ocorrências com concentração de populares e tentativas debeladas das mobilizações de bloqueio total ou parcial de rodovias durante as últimas horas", diz a nota. 

O Ministério informou ainda que os atos não são organizados por qualquer entidade setorial do transporte rodoviário de cargas e que a composição das mobilizações é heterogênea, "não se limitando a demandas ligadas à categoria".

Os bloqueios realizados pelos caminhoneiros já preocupa distribuidoras de combustíveis que temem o desabastecimento dos mercados. As empresas temem que faltem produtos como gasolina e óleo diesel. A situação mais crítica é em Santa Catarina e Mato Grosso, mas, algumas cidades de outros estados, já estão com fornecimento comprometido.

Últimas