Sete em cada dez empresas já entraram no processo de digitalização

Percentual cresceu em relação a cinco anos, quando era de 48%, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria

  • Economia | Camila Nascimento*, do R7

audima
Para 66%, alto custo é um obstáculo para digitalização
Pixabay

Nos últimos cinco anos, a indústria brasileira passou por um processo de digitalização da produção, 69% das empresas aderiram a novas tecnologias. Em 2016 esse percentual era de 48%. A informação é de uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (26) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Mais de mil empresas foram consultadas e 18 tecnologias foram listadas – oito a mais que em 2016. Segundo Samantha Cunha, gerente de Política Industrial da CNI, apesar dessa diferença é evidente o crescimento. “Se analisar os resultados produzidos a partir de uma subamostra formada pelas mesmas empresas participantes em 2016 e 2021, a maioria que respondeu que não adotava, ou não sabia se adotava alguma tecnologia digital, passou a adotar pelo menos uma tecnologia digital em 2021”, explica.

O foco principal das tecnologias continua sendo a melhoria do processo produtivo. Mas o uso para maior customização de produtos também ganhou espaço nos últimos anos. Por outro lado, tecnologias mais complexas, como as que envolvem inteligência artificial, ainda são pouco utilizadas (9%).

Início do processo de digitalização

Apesar do crescimento, o levantamento mostrou que boa parte da indústria ainda está em um processo inicial de digitalização. Apenas 7% utilizam dez ou mais tecnologias listadas pela pesquisa; 26% usam de uma a três; e 36% de quatro a nove.

Entre os setores que mais implementaram recursos digitais estão os com maior intensidade tecnológica e os que são pioneiros nessa adoção.

Publicidade

O número de tecnologias adotadas também está relacionado ao porte. Entre as grandes empresas, 86% usam pelo menos uma das 18 tecnologias. Já entre as médias esse percentual cai para 64% e entre as pequenas, para 42%.

O percentual de empresas que utilizam até seis tecnologias entre negócios de grande porte é 1,5 vez maior quando comparado com a utilização entre as de pequeno porte. A diferença aumenta para 15 vezes quando observada a utilização de dez ou mais tecnologias.

Alto custo e falta de mão de obra qualificada são as principais barreiras

O elevado investimento necessário para a implementação de novas tecnologias é o principal obstáculo para as empresas iniciarem e expandirem o processo de digitalização. Assim como em 2016, 66% ainda considerem essa a maior barreira interna. Veja os entraves citados na pesquisa: 

• Estrutura e cultura da empresa: 26%

• Falta de clareza na definição do retorno sobre o investimento: 25%

• Falta de conhecimento técnico sobre as tecnologias digitais: 25%

• Dificuldade para integrar novas tecnologias e softwares: 18%

• Infraestrutura de TI inapropriada: 14%

• Tempo de implementação elevado: 13%

• Risco para a segurança da informação: 6%

Externamente, o maior entrave é a falta de mão de obra qualificada (37%), percentual que cresceu em relação a 2016, quando era de 30%. Confira outras dificuldades citadas:

• Dificuldade para identificar tecnologias e parceiros: 33% 

• O mercado ainda não está preparado (clientes e fornecedores): 29%

• Ausência de linhas de financiamento apropriadas: 20%

• Infraestrutura de telecomunicações do país insuficiente: 19%

• Falta de normalização técnica: 9%

• Falta de regulação / regulação inadequada: 6%

Benefícios da digitalização

Para 72% o aumento da produtividade é a principal vantagem da adoção de novas tecnologias; 61% constataram uma melhora da qualidade dos produtos; 60%, redução dos custos operacionais.

As empresas consultadas também citaram o avanço no processo de tomada de decisão (49%), aumento da segurança do trabalhador (38%), crescimento da eficiência energética (22%), desenvolvimento de produtos ou serviços mais customizados (15%), redução dos impactos ambientais (15%) e queda no tempo de lançamento de produtos 12%.

Setores que se destacam

No setor de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos, 88% das empresas utilizam pelo menos uma tecnologia digital, seguido pelo setor de biocombustíveis (81%) e pelo de sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal (HPPC) (80%).

Mas o setor automativo é que mais se destaca quando o assunto é avançar no processo de digitalização intensamente. No setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, 35% das empresas utilizam sete ou mais tecnologias digitais. Enquanto no de HPPC esse percentual é de apenas 8% das empresas.

As indústrias com menos empresas usando pelo menos uma tecnologia digital são as de produtos de minerais não metálicos (44%), couros e artefatos de couro (45%) e impressão e reprodução de gravações (46%).

* Estagiária do R7, sob supervisão de Ana Vinhas

Ir para versão mobile