Economia Setores de alimentos e roupas puxam queda no comércio em abril

Setores de alimentos e roupas puxam queda no comércio em abril

Pesquisa do IBGE mostra que indicador registrou queda de 0,6% no mês em comparação a março do mesmo ano depois de dois meses de estabilidade

Pesquisa mensal do comércio

Comércio acumula alta de 0,6% em 2019

Comércio acumula alta de 0,6% em 2019

Igor do Vale/Folhapress - 05.01.2018

As vendas no comércio varejista cairam em abril, puxadas principalmente pelo setor de alimentos e bebidas e das roupas, segundo a PMC (Pesquisa Mensal do Comércio), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (12). 

As vendas recuaram 0,6% no mês em comparação com março, depois de dois meses de estabilidade. Das oito atividades pesquisas, cinco tiveram resultados negativos.

O setor de tecidos, vestuário e calçados teve queda de 5,5% no período. Outros setores que puxaram a queda foram hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,8%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,7%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,4%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-8,0%).

Os setores que tiveram crescimento nas vendas no período foram móveis e eletrodomésticos (1,7%), combustíveis e lubrificantes (0,3%) e livros, jornais, revistas e papelaria (4,3%).

Na comparação de abril com o mesmo período de 2018, houve aumento de 1,7% nas vendas. Houve taxas negativas em cinco das oito atividades pesquisadas. 

Entre as atividades com crescimento, destacaram-se outros artigos de uso pessoal e doméstico (13,4%), seguido por hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,6%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (3,8%).

Os setores de combustíveis e lubrificantes (-3,6%), tecidos, vestuário e calçados (-3,2%), livros, jornais, revistas e papelaria (-25,6%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-10,5%) e móveis e eletrodomésticos (-0,1%) foram os setores que mostraram queda nessa comparação.

De janeiro a abril deste ano, as vendas registram aumento de 0,6%. Para a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, as variações no comportamento do comércio em 2019 deixam o varejo ainda no patamar de dezembro do ano passado. “De janeiro a abril não acumulou nada. É como se o ano de 2019 não tivesse dado nenhuma contribuição para a recuperação da trajetória de queda iniciada em 2014”, avalia.

No acumulado de 12 meses, cresceram 1,4%.