Economia Tarcísio de Freitas aposta em 'revolução' no setor ferroviário

Tarcísio de Freitas aposta em 'revolução' no setor ferroviário

Ministro da Infraestrutura promete entregar Ferrovia Norte-Sul no segundo semestre de 2021 e iniciar linha no Centro-Oeste

  • Economia | Do R7

Tarcísio de Freitas fez balanço do primeiro semestre

Tarcísio de Freitas fez balanço do primeiro semestre

Youtube / Reprodução

O ministro da Infraestrutura, Tarcício Gomes de Freitas, fez um balanço do primeiro semestre de 2021 nesta sexta-feira (2) e prometeu uma revolução no setor ferroviário nos próximos anos.

De acordo com o titular da Infraestrutura, foram 51 obras entregues de janeiro a junho e a meta para este ano é passar de 100. Em 2020, foram 97. O governo conseguiu ainda leiloar 29 ativos do Estado, entre os quais 22 aeroportos e cinco terminais portuários, em abril. 

O ministério fechou o primeiro semestre de 2021 com R$ 18,89 bilhões de investimentos contratados e pretende alcançar a marca de R$ 100 bilhões até o fim deste ano, somando os dados desde 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro. Até agora, o número chega a R$ 71,07 bilhões, com 70 ativos concedidos.

"Posso dizer que o melhor está por vir. Demos o gostinho aos investidores, mas deixamos coisas melhores para frente", disse o ministro.

"Se a gente observar essas entregas do primeiro semestre, estão espalhadas por todo o território nacional", afirmou o ministro, que admitiu que, apesar das dificuldades no orçamento, é possível priorizar inicativas.

Ele prometeu para o segundo semestre deste ano a entrega da Ferrovia Norte-Sul e o início das obras da linha de Integração do Centro-Oeste, comandada pela Vale.

A Ferrogrão, que liga os estados de Mato Grosso e Pará, é, de acordo com Tarcísio, uma das prioridades do governo, mas depende da liberação das obras por parte do STF (Supremo Tribunal Federal). "A Ferrogrão vai acontecer, é inevitável, ela vai se tornar uma realidade."

Novos leilões

Tarcísio espera que a concessão dos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio, ocorram no primeiro trimeste de 2022.

"Estou cobrando a equipe para fazermos o leilão em março do ano que vem."

Também em 2022 deve ser concedido o Porto de Santos, principal terminal portuário do país. "Tenho certeza que será um leilão superlativo. Incorporamos as lições aprendidas com a regulamentação da Codesa.(Companhia Docas do Espírito Santo), o que mostra que foi um acerto implementarmos essa desestatização primeiro", analisou. 

Autorizações

Tarcísio de Freitas reforçou que uma das estratégias do governo é estimular projetos de ferrovias da iniciativa privada sem ser preciso construí-la com dinheiro público e concedê-la posteriormente. "A autorizaçao ferroviária vai promover uma revolução no Brasil."

"Estamos discutindo com o Congresso essa medida e estudamos que também que ela possa ser definida por decreto", contou o ministro.

Ele explicou que nos Estados Unidos o modelo adotado é este, das autorizações para projetosc privados. "Lá não tem concessão de ferrovias."

Se a mudança ocorrer, afirma o ministro, é possível apostar que até 2035 as ferrovias passem a representar 36% da matriz de transportes do país. Hoje, estão em 15%.

"As empresas estão bem estruturadas e podem fazer investimentos até bilionárias nesse modo de transporte", comentou. 

Últimas