Tripulantes da Gol e Latam aprovam redução de até 50% dos salários

Proposta de redução de salários foi apresentada pelas empresas como medida emergencial devido à crise causada pela pandemia 

A aviação foi um dos setores mais atingidos pela crise do coronavírus

A aviação foi um dos setores mais atingidos pela crise do coronavírus

Tomás Silva/Agência Brasil

Os aeronautas associados da Gol aprovaram nesta quinta-feira (26) a proposta de redução de salários apresentada pela empresa como medida emergencial devido à crise causada pela pandemia de coronavírus. A proposta prevê para os próximos três meses redução gradativa de 30%, em abril, 40%, em maio, e 50%, para todos os tripulantes, comissãrios e pilotos aeronautas.

Leia também: Crise nas aéreas ameaça 62 mil empregos e trará perda de R$ 7,7 bi 

No total, foram registrados 95,69% de votos a favor da aprovação da proposta, e 4,31% contrários. O acordo também prevê aumento de folgas, por causa da redução da operação. Todos os voos internacionais e cerca de 90% dos domésticos foram cancelados e a empresa deverá operar com 140 aeronaves. 

"O acordo foi necessário, essa é a verdade. A medida é dura e dolorosa, mas necessária para ajudar a não perder os postos de trabalho", afirma o presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Rodrigo Spader.

Latam

Os aeronautas associados da Latam também aprovaram nesta quinta-feira a proposta da empresa, que prevê para os meses de abril, maio e junho de 2020 redução de 50% do salário.  

No total, foram registrados 97,07% de votos a favor da aprovação da proposta, e 2,93% contrários. A proposta também define um número mínimo maior de folgas e garante o emprego para todos os tripulantes durante a vigência da crise. O acordo da Azul ainda não foi votado.