Trump e diretor da OMC dizem que discutirão mudanças

DAVOS, Suíça (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu nesta quarta-feira ação dramática com a Organização Mundial do Comércio, dizendo que o diretor-geral do grupo visitará Washington já na próxima semana, mas sem dar mais detalhes.

A OMC perdeu sua capacidade de intervir em disputas comerciais depois que os Estados Unidos a paralisaram efetivamente, retirando dois de três membros do órgão de resolução de conflitos, deixando o árbitro comercial incapaz de emitir decisões.

"Vamos fazer algo que acho que será muito dramático", disse Trump a repórteres.

O diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo, e outros representantes do órgão mundial chegarão a Washington "em algum momento na próxima semana ou talvez na semana seguinte, e começaremos a trabalhar nisso", acrescentou Trump.

A reunião vem depois de os Estados Unidos finalizarem a Fase 1 do acordo comercial com a China e se aproximarem da promulgação de um novo acordo comercial com o México e o Canadá. Trump e seu governo culparam a OMC por permitir que a China se aproveitasse dos EUA.

Azevêdo, falando ao lado de Trump na entrevista coletiva, disse que a OMC precisa de mudanças sérias e que o sistema multilateral não está funcionando adequadamente.

"Para a OMC cumprir e desempenhar seu papel na economia global de hoje, ela precisa ser atualizada", afirmou ele. "Estamos comprometidos em efetuar essas mudanças".

Azevêdo disse que discutirá o que precisa ser mudado com Trump o mais rápido possível, assim como com líderes de outros países membros da OMC.

(Por Alexandra Alper)