Economia Vacinação em massa vai garantir retomada da economia, diz Guedes

Vacinação em massa vai garantir retomada da economia, diz Guedes

Ministro afirmou que a imunização garantirá a volta segura ao trabalho, o que é decisivo ao bom desempenho da economia

  • Economia | Do R7

O ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes

Adriano Machado/ REUTERS 12.01.2021

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (25) que a vacinação em massa contra a covid-19 vai garantir a retomada da economia no Brasil. A afirmação foi durante entrevista sobre o resultado de 2020 da arrecação da Receita Federal.

Leia também: Com mais de 604 mil doses, Brasil é o 16º país em ranking de vacinação

"A vacinação vai garantir a volta segura ao trabalho. É decisiva e um fator crítico de sucesso para o bom desempenho da economia logo à frente", disse o ministro. "Um recado que eu deixaria é: primeiro a vacinação em massa. Estamos no país do Oswaldo Cruz. Parabéns à Fiocruz, parabéns ao Butantan, parabéns à Anvisa, às Forças Armadas que ajudam na logística da distribuição. E parabéns com louvor aos profissionais de saúde que estão à frente nessa guerra contra a pandemia."

O ministro lembrou que entre 10% e 15% da população brasileira são idosos mais vulneráveis à covid-19. "O Brasil está tentando comprar realmente todas as vacinas. A crítica de que teríamos ficado com uma vacina só simplesmente não cabe. Estamos tentando adquirir todas, sou testemunha do esforço logístico que está sendo feito", acrescentou.

Guedes ainda elevou o tom contra os críticos do governo, sem citar nominalmente o governo de São Paulo, João Doria - principal adversário político do presidente Jair Bolsonaro. "Tem muita gente subindo em cadáveres para fazer política e isso não é bom. A população e os eleitores vão saber diferenciar isso lá na frente. Digo isso para quem estiver assumindo. Estamos em uma situação extraordinariamente difícil e sempre houve essa perspectiva de que a saúde e a economia andam juntas", completou.

Arrecadação

Para o ministro, a arrecadação do governo federal que fechou 2020 com queda real de 6,91%, a R$ 1,479 trilhão mostra vigor na recuperação econômica do país. "A queda foi bem abaixo do que estava previsto no início da pandemia pelos economistas e órgãos internacionais. No ano em que enfrentamos o maior desafio da economia brasileira, isso é um resultado excelente, dada a situação. É uma queda branda, diante da gravidade do fenômeno."

Últimas