Educação 70% das famílias receberam auxílio do governo, aponta pesquisa 

70% das famílias receberam auxílio do governo, aponta pesquisa 

Levantamento da Abed também destaca que o engajamento dos estudantes é o maior desafio no ensino a distância

Estudantes sentiram impacto da crise econômica

Estudantes sentiram impacto da crise econômica

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Que a pandemia acelerou o processo do ensino online não é novidade, mas a aposta da Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância) é que o número de estudantes que escolham essa modalidade no futuro cresça ainda mais. Porém, o grande desafio continua sendo o engajamento — é o que aponta a pesquisa inédita sobre a Educação Básica em 2020.

Além da dificuldade de manter a participação dos estudantes, a pesquisa mostra que as famílias sofreram algum impacto financeiro neste período e que 70% dos entrevistados receberam o auxílio emergencial do governo federal.

"Houve uma redução no número de matrículas presenciais e um aumento significativo na inadimplência, sinais de que estão sentindo o revés econômico, as pessoas perderam renda neste período e estão assustadas com o futuro", avalia  Luciano Sathler, membro do Comitê de Educação Básica da Abed. De acordo com a ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior), a inadimplência pode chegar a 75% das instituições.

No ensino superior, a expectativa é que a tendência de aumento no número de matrículas nessa modalidade continue crescendo como mostrou o censo da Educação — o número de calouros em cursos superiores à distância, o EAD, superou o de presenciais no Brasil em 2019. Foram mais de 1,4 milhão de alunos no EAD, 52% do total segundo a ABMES. A tendência que em 2023 a maioria dos universitários opte pelo ensino remoto.

"No presencial houve uma diminuição do número de matrículas, mas isso não ocorreu na EAD, ao contrário, a tendência é que aumente o número de pessoas interessadas até porque com a pandemia diminuiu a resistência à modalidade tanto por parte de alunos como professores", diz Sathler. "Acreditamos que esse é um caminho sem volta, até os cursos presenciais devem incorporar elementos da EAD." 

Últimas