Educação Doria anuncia investimento em universidades estaduais

Doria anuncia investimento em universidades estaduais

USP, Unicamp e Unesp, além da Fapesp, devem receber R$ 17 bilhões no próximo ano e R$ 1 bilhão até dezembro deste ano

  • Educação | Do R7 com Agência Estado

Digite a legenda da foto aqui

Digite a legenda da foto aqui

Divulgação

Recheado de provocações ao governo federal, o governador João Doria (PSDB) anunciou, nesta quarta-feira (20), que o governo paulista irá realizar o repasse de R$ 1 bilhão para universidades paulistas, que, de acordo com ele, será “o maior orçamento para ciência e tecnologia da história dos governos de São Paulo”.

Em ranking internacional, USP é a melhor da América Latina

O anúncio do investimento veio anexado a uma série de críticas do dirigente estadual ao Executivo que, como mostrou o Estadão, diminuiu em 87% uma proposta de aumento de verbas para o setor de ciência e tecnologia neste ano — a queda foi de R$ 690 milhões para R$ 89,8 milhões.

Doria declarou que o repasse é destinado a investimentos em infraestrutura física e tecnológica das universidades públicas paulistas, entre elas a USP (Universidade de São Paulo), Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e Unesp (Universidade Estadual Paulista).

Ao anunciar o investimento, Doria não deixou de provocar o poder executivo federal. “Em um momento triste do Brasil, em que o obscurantismo custou milhares de vidas que se foram com a covid-19, o estado de São Paulo reafirma sua confiança, sua crença na ciência, com um investimento tão expressivo", afirmou, em coletiva de imprensa nesta tarde no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Universidades brasileiras estão no top 10 em ranking internacional

“O governo vai na direção oposta do governo federal”, disse. "Enquanto o governo federal corta recursos da ciência, inovação, pesquisa e tecnologia, São Paulo amplia os investimentos em pesquisa, e o investimento em pesquisa e tecnologia”.

O anúncio contou com a presença dos reitores Vahan Agopyan, da USP, e Tom Zé, da Unicamp, além do presidente da Fapesp, Marco Antonio Zago. 

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o reajuste no orçamento de 2022 será dividido da seguinte forma: a USP terá aumento de 24%, recebendo R$ 7,6 bilhões; a Unesp receberá R$ 3,8 bilhões, um acréscimo de 22% em relação a 2021; a Unicamp ficará com 17% a mais, totalizando R$ 3,7 bilhões; e a Fapesp ganhará reajuste de 15% sobre o atual orçamento, recebendo R$ 1,85 bilhão.

O orçamento de 2022 integra um plano de investimentos elaborado pelas universidades e para melhoria de infraestrutura, modernização de redes, compra de materiais, apoio à permanência estudantil e monitoramento da saúde física e mental das comunidades acadêmicas.

Já em relação ao orçamento deste ano, o crédito suplementar de R$ 1 bilhão será dividido conforme os critérios determinados na distribuição de 9,57% do ICMS. A divisão prevê R$ 525,6 milhões para a USP, R$ 245 milhões para a Unesp e R$ 229,4 milhões para a Unicamp.

A verba repassada pelo governo do estado será empregada em despesas de investimento, atualizando a infraestrutura das universidades e permitindo sua adaptação ao momento de retomada econômica e social do cenário pós-pandemia.

Últimas