Educação Internautas comentam tema da redação do Enem: 'Tiraria zero'

Internautas comentam tema da redação do Enem: 'Tiraria zero'

Conforme divulgou o Inep, candidatos deverão desenvolver neste domingo (21) um texto sobre 'invisibilidade e registro civil'

  • Educação | Sofia Pilagallo*, do R7

Primeiro dia de provas começou às 13h30 e deve terminar às 19h

Primeiro dia de provas começou às 13h30 e deve terminar às 19h

GERALDO BUBNIAK/AGB/ESTADÃO CONTEÚDO - 21.11.21

Nas redes socias, internautas estão comentando o tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano nas redes sociais. Conforme o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) divulgou no Twitter, pouco depois do início do exame, os candidatos deverão desenvolver uma dissertação sobre "invisibilidade e registro civil".

A primeira prova teve início às 13h30 deste domingo (21) em cidades de todo o Brasil, e o encerramento está previsto para as 19h. 

"A redação do Enem 2021 tem como tema 'Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil'", escreveu o Inep. "O tema é o mesmo para as duas versões do Enem: impressa e em computador.”

Alguns poucos internautas elogiaram o tema da redação e afirmaram haver diversos aspectos a ser explorados. A maioria, no entanto, acha o assunto de extrema dificuldade e muitos chegaram até mesmo a comparar o tema proposto a uma tese que poderia ser desenvolvida em um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Confira alguns tuítes sobre a redação do Enem:

Para o professor Pedro Vasconcelos, especialista em redação do Anglo Leonardo da Vinci, "a prova do Enem exigiu que os candidatos dissertassem sobre um tema de muita importância, mas pouco conhecido da maioria dos brasileiros: a ausência de registro civil. Seja no âmbito federal, estadual ou municipal, a certidão de nascimento (e consequentemente o Registro Geral) é condição essencial para o acesso a benefícios sociais como Bolsa-Família, Cartão SUS e até mesmo ao serviço funerário municipal".

Pedro afirmou: "Seja pela má distribuição da rede de cartórios, seja pela precariedade sócio-econômica, uma parcela muito grande dos brasileiros não tem documentação, tendo vedados o acesso à cidadania e à tutela estatal. A banca provocou uma reflexão sobre um assunto certamente distante da maioria dos candidatos, mas cuja atualidade se fez presente em momentos como o cadastro do auxílio emergencial ou na vacinação".

*Estagiária do R7, sob supervisão de Karla Dunder

Últimas