Pais contam como dão mais valor a professores dos filhos no isolamento

Em meio à pandemia de coronavírus, famílias acompanham mais de perto esforço dos educadores e dividem mais tempo entre trabalho e filhos

Pais apoiam aumento salarial de professores depois de ficarem em casa com filhos

Pais apoiam aumento salarial de professores depois de ficarem em casa com filhos

Pixabay

Uma pesquisa publicada nos Estados Unidos em plena pandemia do novo coronavírus apontou que 77% dos pais são favoráveis aos professores terem aumento salarial. De acordo com os dados, os pais estão acompanhando o esforço para ensinar os filhos em casa e têm valorizado mais o trabalho das escolas.

No Brasil, muitos pais também têm seguido de perto o esforço de professores durante as aulas on-line. Davi Lago, pai de Maria de 7 anos, aluna do colégio Sion, considera que os educadores são “grandes heróis”.

“Crianças e adolescentes de todo o mundo estão estudando em casa neste momento e isso só é possível pela dedicação dos professores, que se adequaram rapidamente a um novo modelo de ensino”, afirma Davi.

Davi Lago: professores estão na linha de frente

Davi Lago: professores estão na linha de frente

Arquivo Pessoal

Leia mais: Unesco: metade dos alunos do mundo está sem aula

Lago e a esposa estão trabalhando em home office por causa do isolamento social. Para dar conta das atividades com a filha, eles se dividem. O pai fica com Maria pela manhã, a mãe fica durante a tarde e todos ficam juntos à noite.

“Maria gosta muito das aulas, seguimos as orientações da escola e sabemos que não basta o bom senso também é preciso ter disciplina, responsabilidade e atenção”, conclui Lago.

Marcio valoriza professores da educação básica

Marcio valoriza professores da educação básica

Arquivo Pessoal

Marcio Eisencraft é professor universitário e divide seu tempo em casa preparando as aulas para os alunos do curso de engenharia e cuidando dos filhos, David de 8 anos e Beatriz de 5 anos, que estudam no colégio Lycée Pasteur. A mulher, coordenadora de enfermagem no hospital Albert Einstein, continua trabalhando presencialmente.

“Sem dúvida é muito mais difícil dar aulas para crianças pequenas, fico impressionado com a criatividade das professoras, elas conseguem propor atividades que ensinam de maneira lúdica e percebo o resultado no desenvolvimento dos meus filhos.”

Marcio Mendes está mais próximo das filhas

Marcio Mendes está mais próximo das filhas

Arquivo Pessoal

São mais de sete semanas em casa, em isolamento por conta da pandemia. “Nesse período, se não tivesse o apoio da escola, realmente seria muito difícil”, avalia. “Eu sempre valorizei o trabalho dos professores da educação básica, agora ainda mais.”

Marcio Mendes equilibra a rotina de trabalho com as aulas on-line das três filhas em casa. “Já organizamos toda a programação da semana no domingo à noite para que elas não percam nenhuma atividade e sigam o ritmo da escola”, destaca.

“O ensino a distância exige maior proximidade dos pais com a escola e com os filhos, precisamos acompanhar mais de perto, usar as ferramentas e isso exige uma certa adaptação, mas estamos muito satisfeitos com o resultado.”