Educação Unicamp amplia o acesso e o acolhimento de estudantes refugiados 

Unicamp amplia o acesso e o acolhimento de estudantes refugiados 

Universidade também oferece o programa Refúgio Acadêmico, que dá bolsas a estudantes e professores que vivem em área de conflito

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Unicamp democratiza o acesso dos refugiados que queiram estudar na instituição

Unicamp democratiza o acesso dos refugiados que queiram estudar na instituição

Pixabay

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) amplia o acesso de estudantes refugiados à graduação e à pós-graduação. A nova resolução é mais flexível quanto à documentação exigida para o ingresso em um curso na instituição. A lista completa está disponível na resolução.

Para a professora Ana Carolina de Moura Delfim Maciel, presidente da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, da Unicamp, "o novo regimento para alunos em condição de refúgio é mais democrático e inclusivo".

Os estudantes interessados não prestam vestibular nem fazem prova, mas passam pelo processo de ingresso facilitado, uma seleção específica realizada por meio de uma banca.  A concessão da vaga dependerá da análise da documentação entregue pela comissão instituída e do limite máximo de estudantes que cada curso permite.

A Unicamp também lançou neste ano o programa de acolhimento Refúgio Acadêmico, que oferece bolsas de iniciação científica, mestrado, doutorado, pós-doutorado e de professor visitante a pessoas que vivem em áreas de conflito, como Afeganistão e Ucrânia, por exemplo. 

Além das bolsas, esses estudantes contam com apoio com a documentação, deslocamento até o Brasil e aulas de português, além de hospedagem e habitação, alimentação, assistência médica e odontológica, apoio em saúde mental.

Últimas