Programa de governo moderno "não é um calhamaço de papel", afirma Dilma

Candidata do PT afirmou que seu programa foi lançado por meio das entrevistas e internet

Programa de governo moderno "não é um calhamaço de papel", afirma Dilma

Dilma em coletiva neste domingo (28) antes do debate da TV Record

Dilma em coletiva neste domingo (28) antes do debate da TV Record

Evelson de Freitas/Estadão Conteúdo

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) disse neste domingo (28) que um programa de governo moderno "não é um calhamaço de papel". Questionada sobre a razão de não ter apresentado a seis dias do primeiro turno um programa oficial de governo, Dilma rebateu: "Como não?", disse.

— Você conhece a modernidade? A modernidade é o seguinte, a modernidade não é um calhamaço feito de papel, a modernidade são várias formas de comunicação. A mim interessa comunicar com o povo brasileiro que é quem vai votar nessa eleição.

A presidente voltou a afirmar que o alicerce de seu programa é o seu governo.

— O documento é uma estrutura, é composto do alicerce que é: meu governo, as diretrizes e de todas as novas propostas. É isso que eu estou apresentando.

Segundo Dilma, seu programa foi lançado por meio das entrevistas, do programa eleitoral e também na internet.

Depois de citar propostas que fazem parte de seu "virtual" programa de governo, como o Mais Especialidades, as 12 milhões de vagas a mais no Pronatec e medidas de combate à impunidade, Dilma voltou a alfinetar a candidata da oposição, Marina Silva (PSB), e repetiu que não vai mexer em direitos trabalhistas "nem que a vaca tussa" nem dar independência ao Banco Central ou enfraquecer o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

— Se tem alguém que tem proposta, sou eu.