Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2016
Publicidade

Haddad e Erundina centram fogo contra propostas de privatizações de Doria

Candidato tucano ganhou direito de resposta, negou ser lobista e disse ser decente e honesto

São Paulo|Do R7


Debate da TV Record recebeu os seis candidatos à Prefeitura de São Paulo mais lembrados nas pesquisas eleitorais
Debate da TV Record recebeu os seis candidatos à Prefeitura de São Paulo mais lembrados nas pesquisas eleitorais

Os candidatos à Prefeitura de São Paulo Fernando Haddad (PT) e Luiza Erundina (PSOL) dispararam contra as propostas de privatização do autódromo de Interlagos e do Palácio das Convenções do Anhembi durante debate da TV Record neste domingo (25).

A socialista usou palavras fortes contra o empresário tucano, como “lobista”, e disse que Doria Jr. tem uma “visão estreita” com a ideia das privatizações na capital paulista.

— Isso é uma visão de quem é empresário, de quem é lobista e não tem qualquer visão do que é São Paulo. É vender tudo o que tem, [...] até o cemitério. [...]. Condenar a política é de um atraso, de um retrocesso, de uma ignorância, que só dá para pensar em um governo que vai ter 112 funcionários, que é o número de funcionários que ele tem na sua empresa.

Erundina disse que a cidade não pode ter “essa visão estreita de privatizar tudo” e “de vender a preço de banana tudo”.

Publicidade

Sobre Interlagos, Haddad corroborou as ideias de Erundina e disse que, para Interlagos, a tendência é se tornar num parque. O petista disse que os boxes foram reformados para receber feiras regionais, por exemplo.

A socialista afirmou ainda que “só quem não acompanhou a vida de São Paulo, especialmente quem vive fora do país, fazendo lobby das empresas”.

Publicidade

— Trouxemos o GP de Fórmula 1. A prefeitura acabou de reformar novamente e vai vender isso. Isso é um absurdo, é inaceitável.

Depois das acusações, o tucano pediu direito da resposta para a organização e recebeu o aval. Em 30 segundos, disse ser “trabalhador” e avisou que “tudo o que conquistou na vida foi trabalhando”.

— Não sou lobista, sou dedicado. Posso olhar nos olhos de vocês e dizer que sou decente e honesto.

Propostas

Apesar da rispidez entre os três candidatos, eles também apresentaram propostas para a cidade. João Doria Jr. e Marta Suplicy falaram sobre o controle das enchentes, por exemplo. A peemedebista disse que "os córregos não são limpos, o cata-bagulho não existe, os piscinões não são limpos, então, esse problema fica mais fortalecido".

— A cidade está mal-cuidada, muito suja. A cidade não é cuidada, os piscinões ficam cheirando mal e o córrego não temos nenhuma política firme para os córregos. [...] Vamos sim fazer o máximo possível de canalizações, cuidar das pessoas dessas regiões, limpar os piscinões, limpar bueiros.

O tucano reforçou as palavras de Marta e disparou contra Haddad: "foram poucas as obras feitas na gestão Fernando Haddad". Doria disse que fará "a revitalização dos córregos" e, sobre eles, "os parques lineares".

GCM e indústria da mulçta

Sobre o policiamento da GCM (Guarda Civil Metropolitana), o prefeito Fernando Haddad se defendeu do sucateamento da corporação e disse que "a primeira providência que tomou foi chamar um concurso público" para contratar guardas civis.

— É uma guarda valorizada pela população nos equipamentos públicos da cidade, como postos de saúde e escolas.

O candidato do PRB, Celso Russomanno, por sua vez, disse que vai "colocar a GCM para fazer policiamento". Sobre a indústria da multa, o republicano disse ainda que "a multa deve ter um fator educativo, que é o que infelizmente não tem hoje na cidade de são Paulo". 

— As multas são aplicadas em quantidade imensa, os julgadores não dão conta da quantidade que chega. As pessoas fazem recursos e não conseguem que sejam lidos. Vamos suspender temporariamente as multas até que tenham uma solução. [...] Vamos trabalhar na educação do transito, prestigiando a CET [Companhia de Engenharia de Tráfego].

Russomanno defendeu ainda que, "se formos pensar na cidade para os próximos 20 anos, só tem uma forma: descentralização da cidade".

— Se a gente fizer isso, vamos fazer com que as pessoas estejam perto do trabalho, shopping centers nas periferias, vamos fazer uma cidade para os próximos 20 anos pensando na qualidade de vida de todos nós.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.