Eleições 2020 Alexandre Kalil é reeleito prefeito de BH no primeiro turno 

Alexandre Kalil é reeleito prefeito de BH no primeiro turno 

Candidato à reeleição pelo PSD na capital mineira liderou todas as pesquisas de intenção de votos realizadas desde o início da campanha

  • Eleições 2020 | Pablo Nascimento, do R7

Kalil liderou as pesquisas durante toda campanha

Kalil liderou as pesquisas durante toda campanha

Divulgação / Coligação Coragem e Trabalho

Alexandre Kalil (PSD) recebeu 63,5% dos votos apurados até o momento, neste domingo (15) e foi reeleito prefeito de Belo Horizonte.

Até às 22h40, 84,82% das urnas já haviam sido apuradas. Bruno Engler (PRTB) aparece em segundo lugar, com 9,89% dos votos.

Em terceiro lugar está João Vítor Xavier (Cidadania), com 9,25% dos votos. Foram contabilizados 4,26%% de brancos (50.386) e 6,87% de nulos (81.159).

Após a divulgação dos números, que atrasaram devido a uma falha no sistema de TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre Kalil se reuniu com a imprensa em frente à casa dele na região Centro-Sul de BH e agradeceu o apoio da população.

— Neste momento tão difícil que nós vivemos nestes meses, eu só posso agradecer Belo Horizonte. Eu não saí da minha casa. Eu não fui para a rua. Eu não fiz nenhum evento que não fosse o distanciamento. Agora não tem direita e nem esquerda. Vamos continuar governando para quem precisa.

Veja o resultado da eleição para prefeito e vereador em Belo Horizonte.

Histórico

Kalil foi eleito Prefeito de BH, em 2016, em sua primeira corrida a um cargo político. Além de empresário no setor de construções, ele era conhecido pela atuação no meio esportivo. O candidato reeleito presidiu o Clube Atlético Mineiro, entre 2008 e 2014.

Diferentemente do que ocorreu em 2020, Kalil enfrentou uma votação apertada em 2016. Na época ele ficou em segundo lugar no primeiro turno e foi para a disputa final contra João Leite (PSDB), quando virou e alcançou 52,98% dos votos válidos.

Campanha

Durante a campanha, Alexandre Kalil evitou participar eventos públicos e fazer caminhadas com os eleitores, alegando risco de contaminação pelo novo coronavírus. O então candidato à reeleição optou por fazer alguns encontros fechados com apoiadores e poucos pronunciamentos para a imprensa.

Últimas