Eleições 2020 Com 21 dias de atraso, Macapá começa a escolher futuro prefeito

Com 21 dias de atraso, Macapá começa a escolher futuro prefeito

Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do presidente do Senado, é um dos candidatos; TRE adotou lei seca no município até 18h deste domingo

Urnas foram abertas em Macapá às 7h

Urnas foram abertas em Macapá às 7h

TRE-AP / Divulgação

A capital do Amapá, Macapá, começa neste domingo (6) a decidir o futuro prefeito e os vereadores da cidade. As seções foram abertas às 7h (não há diferença em relação ao horário de Brasília).

O município é o último a escolher seus representantes por causa dos dois apagões que atingiram o Estado em novembro.

A escassez de eletricidade prejudicou os moradores por 22 dias. Com os cortes no fornecimento a cada três horas nesse período, aumentaram os casos de violência na cidade. Por temer riscos à votação, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) adiou em 21 dias o primeiro turno. 

A cidade tem 290 mil pessoas aptas a votar nestas eleições.

Novo apagão no Amapá ocorre minutos após TSE remarcar 1º turno

Entre os candidatos à Prefeitura está Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre. 

O TRE-AP (Tribunal Regional Eleitoral do Amapá) determinou que a partir das 21h de sábado (5) ficassem proibidas a comercialização, distribuição, fornecimento, venda e consumo de bebidas alcoólicas e similares na cidade. A regra vale até 18h deste domingo.

Últimas