Eleições 2020 “Maior desafio é manter controle da covid-19”, diz Crivella em debate

“Maior desafio é manter controle da covid-19”, diz Crivella em debate

Candidato à reeleição afirmou que com investimento na saúde antes da pandemia, foi possível atender e tratar infectados na rede municipal

O candidato à reeleição Marcelo Crivella (Republicanos) afirmou, durante o debate na Record TV Rio, nesta quinta-feira (26), que o maior desafio, caso seja reeleito, é manter sob controle o avanço do novo coronavírus na cidade. Segundo ele, com o investimento que fez na saúde antes do início da pandemia, foi possível atender e tratar todos os infectados que chegaram na rede municipal.

Crivella falou sobre propostas para o Rio

Crivella falou sobre propostas para o Rio

Paulo Mauzer / Record TV Rio

Crivella criticou a administração do adversário Eduardo Paes (DEM) e os investimentos feitos para grandes eventos, afirmando que "se fosse para ter outra Olimpíada, iria desistir da candidatura". 

Rio: Crivella reduz vantagem de Paes, aponta pesquisa Ibope

"O coronavírus mostrou que não adianta ter um Parque Olímpico que não gera impostos, que não gera emprego, só despesas de custeios, enquanto as pessoas morrem porque não tem equipamento. No momento em que a crise foi dura, ninguém deixou de ser atendido em leitos, ninguém deixou de ter tomógrafo, respirador, monitor, médico, enfermeiro e técnico... E ainda tínhamos para emprestar para os outros. Então, é preciso ter um prefeito que, ao invés de ser festeiro... E, digo mais, se fosse para ter outra Olimpíada, eu iria desistir da minha candidatura."

O prefeito ainda falou sobre a preocupação de trocar a administração no meio da pandemia, caso o oponente seja eleito. “Trocar o piloto durante a turbulência não é uma coisa boa. Essa [segunda] onda pode ser pesada. Na primeira, tínhamos dois hospitais de campanha montados pela iniciativa privada, e hoje já temos fila para quem tem plano de saúde. Tanto que estamos fazendo apelo para que eles reabram seus leitos.”

O prefeito disse ainda que com a perspectiva de uma vacina no início do novo ano, caso seja eleito, a imunização não deve ser obrigatória, mas recomenda que toda a população procure se vacinar. Crivella disse ainda que não pretende decretar um lockdown, mas que os protocolos de higiene devem ser mantidos.

“Nossos protocolos derrubaram a primeira onda. Evitar aglomerações, usar álcool em gel, manter o afastamento das pessoas de mais idade e com comorbidades.”

Segurança

Sobre segurança, o atual prefeito afirmou que, apesar de ser uma área de gerência do Estado, também é uma preocupação da sua gestão, ajudando o combate às milícias atuando contra as construções irregulares e demolindo prédios construídos em áreas de risco e sem licença. “A pessoa que compra o imóvel é vítima da milícia. A prefeitura tem atenção redobrada com moradores desses imóveis, e auxilia com aluguel social ou outros projetos como Casa Verde Amarela e Minha Casa, Minha Vida.”

Crivella também falou sobre o projeto de lei que está na Câmara dos Vereadores para armar a Guarda Municipal. Ele apontou que em sua gestão, conseguiu armas não letais para os agentes, mas que caso essa lei seja aprovada, a GM pode assumir a segurança de algumas regiões e deixar a PM atuando em áreas mais violentas.

IPTU

Questionado sobre a proposta enviada recentemente à Câmara do Rio de redução do IPTU, após ter aumentando o imposto no início do mandato, Crivella disse que não se arrependeu da decisão de reajustar a taxa e que ela foi necessária em razão da dívida herdada da gestão anterior.

“Não posso me arrepender de algo que era necessário. Os vereadores votaram por unanimidade pelo aumento. Ou a gente reajustava o IPTU ou fechava os hospitais, escolas. Lembrem que houve um período olímpico de corrupção”, afirmou.

Crivella ressaltou ainda que, em meio à pandemia, que afetou financeiramente a população, a redução do IPTU no atual momento tem como objetivo ajudar o setor econômico.

“Neste momento, acho que é justo que as pessoas paguem em 2021 o IPTU de 2018 e em 2022 o de 2017. Também me preocupa porque muitas lojas fecharam, muitas ficaram inadimplentes.  É uma tentativa nossa de reabrir restaurantes, lojas de comércio e gerar emprego e renda na nossa cidade”.

Debate

Como o candidato Eduardo Paes (DEM) não aceitou o convite, o debate foi convertido em entrevista com o candidato presente, conforme a lei nº 9.504/97, art. 46, § 1º c/c Resolução nº 23.610/2019, art. 46, I e III.

A entrevista de trinta minutos foi dividida em duas partes. Na primeira, Crivella respondeu a perguntas com temas definidos com base em uma pesquisa encomendada pela Record TV Rio ao Instituto Real Time Big Data, registrada na Justiça Eleitoral com o número RJ-09031/2020. No encerramento, o candidato teve dois minutos para as considerações finais.

Últimas