Eleições 2020 Prefeitura de Vitória é alvo de ação da PF contra candidato Gandini

Prefeitura de Vitória é alvo de ação da PF contra candidato Gandini

Segundo denúncia, ele teria se aproveitado de contratos com agências de publicidade e produtoras de vídeo para pagar material de campanha

  • Eleições 2020 | Do R7, com informações da Folha Vitória

Prefeitura de Vitória é alvo de ação da PF contra Fabrício Gandini

Prefeitura de Vitória é alvo de ação da PF contra Fabrício Gandini

Reprodução / Agência Brasil

A Prefeitura de Vitória, produtoras de vídeo e até empresa de pesquisa prestadora de serviço receberam a visita de agentes da PF (Polícia Federal) na quinta-feira (5). Foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra a candidatura de Fabrício Gandini (Cidadania) por determinação do juiz eleitoral José Luiz da Costa Altafim.

O objetivo era recolher “aparelhos eletrônicos, documentos, notas fiscais, quebra de sigilo bancário, dentre outras, de modo a apurar se houve abuso de poder político e econômico e/ou superfaturamento nas subcontratações” de empresas de publicidade e de pesquisas para "beneficiar a candidatura de Gandini e demais investigados".

A denúncia foi feita pela coligação Vitória Unida é Vitória de Todos, do candidato Lorenzo Pazolini (Republicanos). Segundo os documentos apresentados, Gandini teria se aproveitado de contratos da Prefeitura de Vitória com agências de publicidade e produtoras de vídeo para pagar material de campanha eleitoral antes do prazo considerado legal. 

De acordo com a denúncia, uma empresa foi contratada pela prefeitura para realizar pesquisas eleitorais, a pedido do candidato do Cidadania, antes de o processo começar. O ato caracterizaria uso de dinheiro público. 

A decisão do juiz José Luiz da Costa Altafim, de 1° de novembro, determina a expedição de mandado de busca e apreensão nas sede das empresas de produção de vídeo que prestam serviço à Prefeitura de Vitória para recolher “todo e qualquer material audiovisual relacionado a conteúdo político/eleitoral, em qualquer formato, cuja data de criação/alteração seja anterior ao dia 25/09/2020, data em que foi requerido o registro da candidatura de Gandini”.

Na ação, também foram recolhidas notas fiscais, recibos, contratos e comprovantes de pagamentos relacionados ao material audiovisual.

O juiz também determinou o recolhimento das propostas comerciais e orçamentos feitos à Prefeitura de Vitória ou às agências que prestam serviço para a administração municipal. O mesmo foi feito no estúdio da empresa de pesquisas para apreender “aparelhos utilizados para registro de dados colhidos em pesquisa de opinião, computadores e dispositivos de armazenamento, pesquisas, em papel ou em qualquer outro meio”, feitas para a Prefeitura de Vitória ou para as agências que atendem a prefeitura.

A denúncia aponta que Gandini “estaria se valendo de vantagens indevidas pagas por pessoas jurídicas, decorrentes de contratos firmados pela Secretaria de Gestão, Planejamento e Comunicação da Prefeitura de Vitória, de modo a financiar gastos abusivos em período vedado pelo ordenamento jurídico pátrio, com serviços de marketing, produção audiovisual e pesquisas eleitorais".

Segundo a denúncia, "as vantagens teriam sido doadas em período vedado, pelo então pré-candidato a prefeito Gandini aos pré-candidatos a vereador de diversos partidos, custeando-se propaganda conjunta, visando gerar exposição massiva da imagem dele”.

Outro lado

Em nota, a campanha de Fabrício Gandini comentou a denúncia e a operação da Polícia Federal. Veja a íntegra:

“A coordenação da campanha Avança Vitória informa que as ações desta quinta-feira foram realizadas por um adversário político, baseadas em acusações infundadas e sem qualquer prova. Esclarece ainda que a ação movida tem viés político e intuito de causar tumulto no processo eleitoral.  

A Coligação Avança Vitória considera que denúncias dessa natureza, às vésperas da eleição e após a candidatura de Fabrício Gandini ter desmascarado a presença do crime organizado na disputa da Capital, têm o claro objetivo de confundir o eleitor e desviar o foco das ameaças de retrocesso que a cidade está sofrendo. 

A Chapa Avança Vitória vai seguir com a verdade, mostrando quem é José Carlos Gratz e Marcos Madureira e quem eles apoiam, sem aceitar intimidações, quaisquer que sejam".

Já o candidato a prefeito, Fabrício Gandini, utilizou as redes sociais para se manifestar: “Não tenho medo e nem tenho o que esconder. Nem meu trabalho nem meus aliados. Continuaremos com nossa campanha e não vamos nos intimidar”.

Em nota, a Prefeitura de Vitória informou que "reafirma seu compromisso público de transparência e retidão, e afirma que nenhum contrato da administração pública, de qualquer natureza, é utilizado em benefício de terceiros”.

Últimas