Eleições 2020 SP: Covas (PSDB) e Boulos (PSOL) exaltam apoios para o 2º turno

SP: Covas (PSDB) e Boulos (PSOL) exaltam apoios para o 2º turno

Durante agenda nesta quarta-feira (18), os candidatos à prefeitura da capital avaliaram o apoio de outras legendas e projetaram novas alianças

Covas e Boulos projetam alianças para ampliar chances na disputa em SP

Covas e Boulos projetam alianças para ampliar chances na disputa em SP

Montagem/R7

Os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL), vencedores no 1° turno das Eleições Municipais de 2020, falaram sobre ações para ampliar o atendimento aos idosos, duplicação de avenida na periferia e alianças para a disputa em segundo turno da votação, marcado para o dia 29 de novembro.

Leia também: Covas tem 47% e Boulos, 35%, diz pesquisa Ibope do 2º turno em SP

A campanha eleitoral começou oficialmente no dia 27 de setembro e, desde então, o R7 tem divulgado os compromissos de campanha dos concorrentes à administração municipal paulistana. O critério definido para apresentação foi a ordem alfabética.

Bruno Covas (PSDB)

O candidato do PSDB à reeleição, Bruno Covas, começa o dia de campanha com visita ao comércio do Jardim Ranieri, na zona sul da capital. Depois, ele concedeu entrevista à coluna de política do portal Metrópoles e encerrou o dia com gravações para a propaganda eleitoral.

Durante o compromisso de campanha no bairro, o prefeito fez um balanço das ações que pretende realizar para estimular a geração de emprego e renda na cidade em seu segundo mandato. Ele afirmou que, em parceria com o Governo do Estado, pretende duplicar a estrada do M’ Boi Mirim., uma das principais da região.

Bruno Covas também frisou que não privilegiou bairros da cidade durante os quatro anos da sua gestão em obras como recapeamento das avenidas e reformas nas calçadas. "Tanto é que no resultado do primeiro turno nós fomos campões em todos os distritos eleitorais", declarou.

Bruno Covas fez caminhada nesta 4ª feira (18) pelo Jd. Ângela, na zona sul de SP

Bruno Covas fez caminhada nesta 4ª feira (18) pelo Jd. Ângela, na zona sul de SP

Divulgação/Patrícia Cruz

O prefeito também comemorou o apoio do Republicanos à sua campanha, legenda que teve Celso Russomano na corrida municipal, candidato que conquistou 10% doso votos no primeiro turno. Covas afirmou que não vê problemas em agregar apoios neste segundo turno.

"Até porque estamos falando de apoios programáticos, de um programa de governo para a cidade. E volto a dizer: não mudo o meu pensamento e o meu jeito de fazer política. Eles aderiram porque acham que a nossa campanha tem as melhores propostas para o segundo turno", completou Bruno Covas.

Guilherme Boulos (PSOL)

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, fez caminhada no Mosteiro de São Bento, no centro de São Paulo. Durante a agenda, ele recebeu o apoio de dois candidatos dignos e corretos em primeiro turno: Jilmar Tatto (PT) e Orlando Silva (PCdo B).

O psolista classificou os apoios como "parte de uma frente pela democracia e diversidade em São Paulo". Mais tarde, a deputada Marina Helou (Rede), que também disputou a prefeitura, também declarou apoio a Boulos — que disse estar aberto para conversas com outros partidos, casos de PDT e PSB.

Boulos recebeu apoio de Orlando Silva (esq.) e Jilmar tato (dir.) nesta 4ª feira (18)

Boulos recebeu apoio de Orlando Silva (esq.) e Jilmar tato (dir.) nesta 4ª feira (18)

Reprodução/Redes Sociais

"A partir da construção dessa frente, vamos ter força nessa reta final para virar o jogo. Tem espaço para todo mundo que quer a cidade referência democratica contra o atraso do bolsonarismo e referência de justiça social contra o elitismo dos tucanos", disse.

À tarde, o candidato Guilherme Boulos participou de sabatina virtual no Estadão, quando disse que suas propostas prioritárias custariam cerca de R$ 29 bilhões ao longo dos quatro anos.

Ele se comprometeu a contratar mais funcionários públicos, entre médicos, guardas civis e procuradores do município. Entre outras metas, o candidato psolista citou a construção de mais corredores de ônibus, como o da avenida Belmira Marin, na zona sul, e de até 100 mil casas populares.

Últimas