Eleições 2020 "Tudo está bem, quando acaba bem", diz Barroso sobre Eleições 

"Tudo está bem, quando acaba bem", diz Barroso sobre Eleições 

Presidente do TSE comemorou a realização das eleições após lembrar que houve a proposta de se cancelar o pleito devido à pandemia de covid-19

  • Eleições 2020 | Mariana Londres, de Brasília

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, fala à imprensa no Centro de Imprensa

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, fala à imprensa no Centro de Imprensa

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 16.11.2020

Diferente do que aconteceu no primeiro, a apuração do segundo turno das Eleições municipais de 2020 ocorreu praticamente sem intercorrências.

No primeiro turno houve a tentativa de um ataque hacker, contido pela segurança do tribunal, além do atraso no processamento da totalização. No segundo turno não houve tentativa de ataque e a totalização foi mais rápida. Às 17h42, apenas quarenta minutos  após o fim da votação, o prefeito de uma capital, Belém (PA), já era conhecido.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso citou Shakespeare para definir o resultado das eleições em um cenário de pandemia, "tudo está bem, quando acaba bem".

>> Veja a apuração completa

"Nosso primeiro objetivo de aliar a eleição à saúde foi cumprido. O segundo objetivo foi combater as fake news, com parcerias com veículos de comunicação para enfrentar o comportamento e derrubamos uma enorme quantidade de contas fraudulentas".

Barroso lembrou que em cenário de pandemia houve a proposta de se cancelar as eleições, mas que após avaliação sanitária ficou decidido o adiamento. Diante desse cenário, o presidente do TSE comemorou a realização das eleições neste ano.

Ele lembrou, no entanto, os problemas do primeiro turno:

"Tivemos dois problemas no primeiro turno e nenhum deles teve impacto no resultado ou fidedignidade das eleições. O primeiro foi do e-título com instabilidade. O segundo foi atraso de 2h50 na divulgação dos resultados. Causado pela suspeita de que problema fosse em um dos processadores, que de fato apresentou problemas, mas havia uma falha operacional da inteligência artificial dos computadores, e por incapacidade de testes, não foi detectada falha operacional consertada na noite do dia 15".

Durante a tarde, Barroso havia parabenizado a Polícia Federal pela prisão de um hacker em Portugal, suspeito de ser o autor da tentativa de ataque no primeiro turno. “A investigação foi feita por requisição minha e a PF foi extremamente eficiente com a polícia portuguesa. Está de parabéns.”

O diretor-geral da Polícia Federal,  Rolando Alexandre de Souza, esteve no prédio do TSE neste domingo e se reuniu com Barroso no início da tarde.

Abstenções

No segundo turno, as abstenções ficaram em 29%. O percentual é recorde e mais alto do que no primeiro turno, de 23,14%. A alta ocorreu apesar do apelo de Barroso na noite de ontem (28), quando disse em rede nacional que o brasileiro não deveria "entregar aos outros o seu destino". No primeiro turno, Barroso disse que eles acreditavam que em função da pandemia a abstenção poderia chegar a 50%, e portanto considera, apesar do recorde, o índice de abstenção positivo.

Últimas