Empregos Geração de empregos para pardos e negros é maior do que de brancos

Geração de empregos para pardos e negros é maior do que de brancos

Já o rendimento dos trabalhadores amarelos e brancos é maior do que dos pardos e negros

Geração de empregos para pardos e negros é maior do que de brancos

Os profissionais classificados como pardos lideraram, pela terceira vez consecutiva, a geração de empregos

Os profissionais classificados como pardos lideraram, pela terceira vez consecutiva, a geração de empregos

Getty Images/Montagem/R7

A criação de empregos por raça/cor mostra que todos os trabalhadores classificados como brancos, pretos/negros e pardos, em 2013, elevaram o nível de emprego, com destaque para os pardos, que expandiram em 5,42%, indicando, contudo, um pequeno arrefecimento quando comparado como registrado em 2012 (5,88%), de acordo com dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), divulgados nesta segunda-feira (18) pelo Ministério do Trabalho.

Os profissionais classificados como pardos lideraram, pela terceira vez consecutiva, a geração de empregos, com incremento de 644,2 mil postos de trabalho. Esse desempenho contribuiu para a continuidade do processo de elevação da participação dos pardos em relação ao total de vínculos empregatícios, que em 2011 era de 29,85%, elevou-se em 2012 para 30,55% e atingiu 31,33% em2013.

A segunda maior taxa de crescimento foi verificada para os vínculos de pretos/negros, que aumentaram o contingente de empregos em 2,66%, ante 2,31% em 2012, representando um incremento de 52,4 mil postos de trabalho.

Emprego com carteira assinada cresceu 3,14% no ano passado

Salário médio das mulheres sobe mais do que dos homens em 2013

Os trabalhadores classificados como brancos vêm perdendo seu dinamismo, em termos de crescimento de emprego, movimento já detectado nos anos anteriores. No ano em análise, registrou expansão de 0,25%, percentual bem abaixo da média 2,76%, o que teve como resultante a continuidade da trajetória declinante verificada desde 2007.

Em termos absolutos, registrou o incremento de 55,3 mil postos de trabalho. Observa-se, ao longo dos anos anteriores, redução na participação em comparação ao total de empregos celetista, passando de 58,25% em 2011 para 56,77% em 2012, atingindo 55,38% em 2013.

Salário

Os rendimentos dos vínculos empregatícios dos trabalhadores declarados como pretos/negros tiveram ganho real de4,55%, superior aos trabalhadores pardos e brancos, que apresentaram incremento de 3,86% e 3,76%, respectivamente.

Ainda assim, o salário médio dos trabalhadores amarelos (R$ 2.620,94) e brancos (R$ 2.263,26) é maior do que o dos trabalhadores indígenas (R$ 1.761,48), pardos (R$ 1.615,52) e pretos/negros (R$ 1.587,10). Os não identificados recebem, em média, R$ 1.731,35.

Os rendimentos médios dos trabalhadores classificados como pretos/negros representam 70,12%, em 2013, ante 69,58%, em 2012, daqueles auferidos pelos brancos, indicando continuidade da redução da disparidade entre os rendimentos recebidos pelos respectivos assalariados formais.

Encontre a sua vaga de trabalho no R7 Empregos

Quer fazer compras online? Use o R7 Ofertas