Goiás Ônibus articulados proibidos no DF rodam em Goiás como se fossem novos

Ônibus articulados proibidos no DF rodam em Goiás como se fossem novos

Veículos impedir de circular em Brasília por causa da idade começaram a transportar passageiros em GO; MP investiga contrato

  • Goiás | Oloares Ferreira, da Record TV

Ônibus articulado que era sucata no DF circula em Goiânia como se fosse novo

Ônibus articulado que era sucata no DF circula em Goiânia como se fosse novo

Record TV

O Ministério Público de Goiás (MPGO) investiga uma suposta utilização indevida de ônibus articulados no Eixo Anhanguera, corredor que liga Goiânia à região metropolitana. Segundo apuração da Record TV, os veículos pertenciam a uma empresa de mobilidade urbana do Distrito Federal, mas foram impedidos de circular em Brasília devido à idade da frota. Apesar disso, duas empresas privadas de Goiânia compraram os articulados, reformaram os veículos e os colocaram para circular na capital goiana e transportar passageiros como se fossem novos.

Ao menos 20 ônibus nessa situação já estão nas ruas de Goiânia, mas a suspeita é de que as empresas que levaram os veículos do Distrito Federal tenham adqurido no mínimo 60 articulados. Os ônibus foram fabricados entre 2012 e 2013. A maioria dos ônibus tem defeitos, como pneus recauchutados e rodas com buracos.

Outros andam com mais de um extintor devido ao risco de alguma falha mecânica em virtude da degradação do carro. Além disso, como não foram projetados para os terminais do Eixo Anhanguera, os ônibus param longe das plataformas, deixando um vão que coloca os passageiros em risco. 

Quando são levados a Goiânia, os carros passam por uma "repaginada" e ganham uma pintura nova. Os articulados, que chegam com detalhes na cor azul, são coloridos em verde. As empresas até tentam esconder detalhes que possam revelar que são ônibus velhos, mas imagens obtidas pela Record TV mostram que os veículos pertenciam à empresa Urbi Mobilidade Urbana, que opera no DF.

Os veículos começaram a circular em Goiânia neste ano. O MPGO diz ter dificuldades para acessar a documentação dos ônibus e vê indícios de irregularidade no processo que autorizou o uso dos articulados. "A gente pede documentação, e não chega. Tem algo muito escondido por trás de tudo isso. É uma verdadeira caixa preta", pondera a promotora Leila Maria de Oliveira.

"Já são modelos ultrapassados, altamente ultrapassados. Os motoristas reclamam que já estão andando com dois extintores dentro dos ônibus porque a direção sabe que, a qualquer momento, os ônibus podem pegar fogo, tal o estado de degradação. Esses ônibus têm algo. Como você compra sucata de outro estado e traz para cá?", acrescenta.

A reportagem foi até uma oficina que faz as reformas nos ônibus, mas não encontrou nenhum responsável e não consegui contato com as empresas do DF e de Goiás. 

Últimas