Internacional A importância da festa de Chanuká na visão de diplomata israelense

A importância da festa de Chanuká na visão de diplomata israelense

Festa das luzes na tradição judaica, Chanuká é também conhecida como a festa dos milagres, que está sendo celebrada ao longo de oito dias

  • Internacional | Do R7

Aviel Avraham imigrou para Israel ainda criança

Aviel Avraham imigrou para Israel ainda criança

Consulado Israel

Por Aviel Avraham
Vice-Cônsul Geral de Israel em São Paulo*

Chanuká é a festa das luzes na tradição judaica, também conhecida como a festa dos milagres, celebrada ao longo de oito dias, onde judeus ao redor do mundo acendem uma vela em cada uma das noites.

A palavra Chanuká, que em hebraico significa “dedicação”, acontece na noite do dia 25 do mês de Kislev no calendário judaico, geralmente coincidindo com o mês de dezembro no calendário gregoriano.

Durante esses oito dias, lembramos da época durante o século 2 A.C., quando a Terra Santa era controlada pelo Império Selêucida, que tentou impor ao povo de Israel a cultura grega e seus costumes ao invés da religião judaica.

Contra todas as probabilidades, um pequeno grupo de judeus, liderados por Judas o Macabeu, derrotaram um dos mais poderosos exércitos existentes na época, reconquistando o templo sagrado em Jerusalém e o dedicando ao judaísmo.

Quando os judeus tentaram acender a menorá do templo, ou candelabro judaico, encontraram óleo o suficiente para somente um único dia de luz. Porém, milagrosamente, o óleo manteve a chama da menorah acesa por oito dias, até que um novo óleo pudesse ser preparado dentro das condições necessárias para o ritual. Para comemorar e lembrar destes milagres, o povo instituiu a festa de Chanuká.

No coração da festa, está o acendimento das velas. A menorah contém 9 velas, sendo uma delas o “shamash”, que é usado para acender as outras oito velas. A cada dia, uma vela é acendida, totalizando oito velas acesas no final de Chanuká.

Para mim, a festa de Chanuká tem um significado ainda mais especial. Meu primeiro filho, Michael, nasceu no mesmo dia do acendimento da primeira vela de Chanuká. Da mesma forma que a luz nos traz esperança e a lembrança dos milagres vividos por nossos antepassados, também me trouxe a luz de ter meu primogênito.

Cheguei ao Brasil recentemente como diplomata, junto minha à esposa e aos meus três filhos. Mesmo que o momento que vivemos seja difícil e repleto de incertezas, muitas vezes estando longe de nossos familiares, é um momento de nos mantermos perto de nossos entes queridos. Se não fisicamente, em pensamento.

Neste final de ano, ao mesmo tempo que celebramos Chanuká, outras religiões monoteístas também celebram momentos muito importantes, como o Natal para nossos amigos cristãos, e Milad un Nabi, ou o nascimento do Profeta Maomé, para nossos amigos muçulmanos.

Mesmo que cada celebração tenha suas peculiaridades, elas também nos mostram que todos nós temos similaridades. Todos nós queremos um próximo ano com muita luz, com saúde para nossas famílias, paz e prosperidade. Que a mensagem de Chanuká, a de que milagres existem, seja algo que transcenda e nos traga muita luz neste ano que está por vir.

* De origem etíope, Aviel Avraham imigrou para Israel ainda criança

Últimas