Ação turca pode prejudicar processo de paz na Síria, adverte Kremlin

Governo advertiu que a tensa situação gerada após operação militar da Turquia contra as milícias curdas prejudica regulação política no país

Ação da Turquia na Síria pode prejudicar processo de paz

Ação da Turquia na Síria pode prejudicar processo de paz

Erdem Sahin / EPA - EFE - 17.10.2019

O Kremlin advertiu que a tensa situação no nordeste do território sírio, que chega neste domingo (20) ao terceiro dia de trégua em meio à operação militar da Turquia contra as milícias curdas, pode prejudicar o processo de regulação política na Síria.

Leia mais: 7 pontos-chave para entender os ataques da Turquia no norte da Síria

"Os acontecimentos no nordeste da Síria deixam uma grande preocupação em todos nós. Potencialmente, tais acontecimentos podem prejudicar a regulação política", disse Dmitry Peskov, porta-voz presidencial, à televisão pública russa.

Leia mais: Tropas dos EUA não são bem-vindas, diz embaixador da Síria no Brasil

Essas são as declarações mais críticas de um alto cargo do governo russo em relação à Turquia desde que o Exército turco iniciou a operação na Síria. A pausa veio após um acordo selado entre Turquia e Estados Unidos.

Nesta semana o negociador-chefe russo, Aleksandr Lavrentiev, advertiu que as tropas turcas não podiam penetrar mais de cinco quilômetros na Síria e se mostrou contra a presença permanente no país.

Lavrentiev lembrou que o acordo sírio-turco de Adana - assinado em 1998 para lidar com as preocupações da Turquia no âmbito da segurança - estipulava que as tropas turcas podiam penetrar cinco quilômetros no território sírio para combater o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado terrorista pelo governo turco.

Estima-se que cerca de 12 mil integrantes do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reclusos em prisões no nordeste da Síria podem ser libertados com a saída das milícias curdas.