Internacional Acidentes aéreos aumentam em 2018, mas níveis continuam baixos

Acidentes aéreos aumentam em 2018, mas níveis continuam baixos

Aviação mundial teve 11 acidentes fatais com 523 vítimas, número acima da média, e que corresponde a um incidente a cada 740 mil voos

Número de acidentes aéreos cresceu em 2018

Número de acidentes aéreos cresceu em 2018

Pixabay

A aviação mundial sofreu 11 acidentes fatais com 523 vítimas em 2018, um número superior ao número médio de vítimas da última meia década (234), embora mantenha níveis baixos de sinistralidade, com apenas um incidente para cada 740 mil voos, informou nesta quinta-feira (21) a Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata).

Os números foram claramente superiores a 2017, o ano com menos acidentes aéreos desde o advento da aviação comercial, já que nele houve seis acidentes fatais com 19 vítimas e um acidente para cada 900 mil voos.

"No ano passado, 4,3 bilhões de passageiros voaram com segurança em 46,1 milhões de voos. O ano de 2018 não foi tão extraordinário como 2017, mas voar continua sendo seguro e os dados nos mostram que cada vez é mais", avaliou em comunicado o diretor-geral da Iata, Alexandre de Juniac.

"Voar continua sendo a forma mais segura de viajar para longas distâncias, já que, nos baseando nos dados, como média um passageiro poderia tomar um voo a cada dia durante 241 anos sem sofrer um acidente", disse o diretor da Iata.

Regiões como Europa, África e Oriente Médio não sofreram nenhum acidente fatal em 2018, enquanto na Rússia e outros países da antiga União Soviética foi registrada a taxa mais alta de acidentes (1,19 para cada milhão de voos) e a segunda região mais afetada foi América Latina (0,76 por milhão).