Internacional África do Sul: homem é interrogado sobre incêndio no Parlamento 

África do Sul: homem é interrogado sobre incêndio no Parlamento 

Polícia afirma que suspeito tem 51 anos e foi detido para esclarecimentos; causa do incidente está sendo investigada

Agência EFE
Polícia investiga a causa do incêndio no Parlamento da África do Sul

Polícia investiga a causa do incêndio no Parlamento da África do Sul

RODGER BOSCH / AFP

O Parlamento da África do Sul continua em chamas horas após ter sido declarado um incêndio no edifício na madrugada deste domingo, enquanto a polícia confirmou que um suspeito está sendo interrogado sobre o incidente.

"Posso confirmar que um homem de 51 anos foi detido para ser interrogado sobre o incêndio no Parlamento", declarou o porta-voz da polícia, brigadeiro Vish Naidoo.

A causa do incêndio ainda não foi esclarecida. As autoridades acreditam que o fogo tenha começado na parte mais antiga do edifício (a Antiga Assembleia), que foi concluído em 1884, e depois se espalhado pela seção que comporta a Assembleia Nacional, a Câmara Baixa do Parlamento, onde o fogo ainda está ativo.

De acordo com Jermaine Carelse, porta-voz do serviço de Bombeiros e Resgate da Cidade do Cabo, as equipes de emergência foram notificadas do incêndio por volta das 6h (horário local; 1h em Brasília).

Um contingente inicial de 36 bombeiros precisou pedir reforços após horas de tentativas infrutíferas de extinção do fogo. Mais tarde, cerca de 70 efetivos foram mobilizados.

O presidente do país, Cyril Ramaphosa, visitou o local para avaliar os danos.

"É um acontecimento devastador e terrível, particularmente depois de ter dado ao Arch [apelido carinhoso dos sul-africanos para o arcebispo emérito Desmond Tutu] o que eu chamaria de a melhor despedida possível ontem", disse o presidente, referindo-se ao funeral de Estado realizado no sábado devido à morte de Tutu, em 26 de dezembro.

Segundo o responsável pela segurança da Prefeitura da Cidade do Cabo, Jean-Pierre Smith, "todo o edifício [do Parlamento] sofreu grandes danos devido à fumaça e à água".

O telhado da seção mais antiga do edifício "ruiu", confirmou Smith, e o incêndio também destruiu o terceiro andar, incluindo os escritórios.

Últimas