Internacional Ao menos 26 pessoas morrem eletrocutadas em mercado na RDC

Ao menos 26 pessoas morrem eletrocutadas em mercado na RDC

Cabo de alta-tensão caiu em um canal que atravessava o estabelecimento na capital do país, Kinshasa

AFP
Vítimas são principalmente vendedores e clientes do mercado, além de alguns pedestres

Vítimas são principalmente vendedores e clientes do mercado, além de alguns pedestres

Reprodução: Twitter / @rkitsita

Pelo menos 26 pessoas foram eletrocutadas nesta quarta-feira (2) quando um cabo de alta-tensão caiu em um canal que atravessava um mercado a oeste de Kinshasa, disseram fontes oficiais.

"O cabo se quebrou e, quando caiu (...), acabou em um canal cheio de água da chuva. Até agora temos 26 mortos eletrocutados", disse à AFP Charles Mbutamuntu, porta-voz do governo local.

"Os mortos são principalmente vendedores e clientes do mercado Matadi-Kibala, e também alguns pedestres. Estamos levando os corpos para o necrotério, e uma investigação será aberta para apurar responsabilidades", acrescentou.

Por seu lado, a Presidência congolesa afirmou no Twitter que "serão lançadas luzes sobre as causas desta tragédia e os responsáveis ​​terão de responder por ela". Também recordou que há alguns meses o presidente Felix Tshisekedi tinha decidido "remover rapidamente aquele mercado, em vista do perigo representado por sua localização atual".

A Sociedade Nacional de Eletricidade (SNEL) afirmou em comunicado que "um raio cortou o cabo de alta-tensão".

Um responsável dessa empresa pública disse à AFP que "a lei proíbe construir sob cabos de alta-tensão, mas o Ministério da Terra concedeu ilegalmente as licenças nesses espaços, sem prestar atenção".

Muitos moradores de Kinshasa compram no mercado Matadi-Kibala produtos alimentícios da província de Kongo Central, no sudoeste.

Em Kinshasa, como em todo o país, a manutenção dos cabos SNEL é muito precária. Em alguns lugares, eles carecem de revestimento e se alinham nas ruas, ao ar livre, por onde passam os pedestres.

Últimas