Atentado na Alemanha é tratado como terrorismo de extrema-direita

Ataque bares voltados às comunidades de muçulmanos em Hanau resultou na morte de 9 pessoas; suspeito também matou a mãe e se matou

Polícia da Alemanha monta guarda em um dos bares alvo do atentado em Hanau

Polícia da Alemanha monta guarda em um dos bares alvo do atentado em Hanau

Armando Babani / EFE-EPA - 20.2.2020

A Procuradoria-Geral da Alemanha trata o ataque contra dois bares de narguilé, que resultou na morte de 9 pessoas, ocorrido na noite da quarta-feira (19), como um atentado terrorista com motivações xenofóbicas e de extrema-direita.

O suposto autor do ataque, um alemão de 43 anos possuía ligações com grupos de ideologia de extrema-direita. Segundo a agência de notícias Deutsche Welle, um site mantido pelo suspeito reproduzia discursos de ódio, xenofóbicos e de inspiração extremista.

O suspeito foi encontrado sem vida, junto ao corpo da mãe, em casa durante a madrugada. As forças de segurança encontraram munição no veículo que foi usado para a locomoção entre os ataques.

Também foi encontrada uma carta de confissão, em que novamente o suspeito registra motivações racistas e xenofóbicas.

Cinco vítimas são cidadãos turcos

As autoridades alemãs confirmaram ainda que o homem tinha licença de porte de arma.

Ele atacou dois estabelecimentos comerciais voltados às comunidades de origem muçulmana, disparando indiscriminadamente, deixando nove mortos e cinco gravemente feridos.

A Embaixada da Turquia em Berlim confirmou que cinco das vítimas fatais são cidadãos turcos.