Internacional Autor do tiroteio em Newtown teria obsessão pelo massacre na Noruega

Autor do tiroteio em Newtown teria obsessão pelo massacre na Noruega

Fontes ouvidas pela CBS afirmam que Adam Lanza queria "concorrer" com assassino

Autor do tiroteio em Newtown teria obsessão pelo massacre na Noruega

Adam Lanza matou a mãe e, em seguida, se dirigiu à escola Sandy Hook, onde fez outras 26 vítimas

Adam Lanza matou a mãe e, em seguida, se dirigiu à escola Sandy Hook, onde fez outras 26 vítimas

Barbara Frey/AP

Adam Lanza, o jovem que em dezembro matou 20 crianças e seis adultos em uma escola em Newtown (Connecticut), tinha obsessão pelo massacre cometido por Anders Behring Breivik na Noruega em julho de 2011 e por games violentos.

A informação foi revelada nesta segunda-feira (18) pela emissora norte-americana CBS.

Segundo a reportagem, Lanza estabeleceu uma espécie de "concorrência" com Breivik.

As fontes consultadas pela CBS contaram que os investigadores encontraram provas de que Lanza tinha obsessão por Breivik, que matou oito pessoas no centro de Oslo com uma caminhonete-bomba e, em seguida, assassinou outras 69 no acampamento da Juventude Trabalhistas na ilha de Utoeya, somando 77 no total.

O autor do massacre de Newtown tinha o objetivo de matar mais pessoas do que o ultradireitista norueguês, contaram duas fontes anônimas próximas da investigação.

De viciado em informática a assassino de crianças: um perfil de Adam Lanza

O jovem de 20 anos, que também assassinou sua mãe antes de ir ao colégio primário Sandy Hook, escolheu esse lugar por ser "um alvo fácil" para matar o maior número de pessoas possível, explicaram as fontes à CBS.

Ao contrário de Breivik, que acabou detido após os atentados e, no ano passado, foi condenado à prisão perpétua, Lanza se suicidou. Antes disso, no entanto, ele trocou tiros com a polícia no estacionamento da escola.

Além disso, as autoridades recuperaram uma coleção de games violentos no porão da casa onde viviam Lanza e sua mãe.

Aparentemente, o jovem passava várias horas por dia trancado em um quarto jogando videogame, principalmente títulos violentos, com os quais aperfeiçoava a sua habilidade de atirar.

Em resposta à informação revelada pela CBS, o tenente Paul Vance, da polícia de Connecticut, sustentou em uma declaração enviada à emissora que a investigação sobre os motivos do massacre ainda não terminou e que, portanto, qualquer teoria a respeito é "pura especulação".

Massacre que matou 77 na Noruega completou um ano em julho de 2012

Leia mais notícias de Internacional