Internacional Biden acredita que governo afegão se sustentará após saída dos EUA

Biden acredita que governo afegão se sustentará após saída dos EUA

Autoridades dos dois países temem um avanço do grupo Talibã após retirada das tropas norte-americanas

Autoridades dos dois países teme ofensivas do grupo Talibã nos próximos meses

Autoridades dos dois países teme ofensivas do grupo Talibã nos próximos meses

FE/EPA/SAMUEL CORUM

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta sexta-feira (2) que o governo do Afeganistão tem capacidade para se sustentar após a retirada dos soldados americanos de seu território, apesar da ameaça do Talibã.

Biden foi questionado sobre a retirada dos EUA no final de um discurso na Casa Branca sobre o desemprego e horas depois de saber que as forças dos EUA haviam transferido o controle da base aérea de Bagram, sua principal instalação militar no Afeganistão, para as autoridades afegãs.

"Reunimo-nos com o governo afegão aqui na Casa Branca, no Salão Oval, creio que eles têm capacidade para manter o governo", declarou o presidente americano, que lembrou que as forças armadas do seu país ficaram destacadas em solo afegão por 20 anos.

Leia mais: Exposição imersiva no Japão leva público a jardim de orquídeas

Por outro lado, expressou preocupação com o fato de as autoridades afegãs terem de lidar com uma série de questões internas e ressaltou que precisam gerar apoio em nível nacional para sustentar o governo.

Biden também foi questionado se os EUA fornecerão assistência para proteger a capital afegã diante das previsões de que ela pode cair nas mãos do Talibã nos próximos seis meses, ao que respondeu que seu país planejou "um capacidade de longo prazo que poderia agregar valor"

Ainda assim, enfatizou que "os afegãos terão que ser capazes de fazer isso sozinhos com a Força Aérea que têm" e que os EUA estão ajudando a manter.

A retirada dos soldados americanos começou em 1º de maio e deve ser concluída até 11 de setembro, por ocasião do 20º aniversário dos ataques terroristas contra os EUA.

As forças americanas e da OTAN têm evacuado gradualmente todas as suas bases no país, deixando para o fim suas principais fortificações, como a base de Bagram, entregue esta sexta-feira, e a base de Cabul, que ainda abriga as tropas da Aliança Atlântica.

Biden destacou nesta sexta-feira que a retirada das forças americanas está ocorrendo de acordo com o planejado e que não será totalmente concluída nos próximos dias, embora queira ter certeza de que haverá tempo suficiente para concluí-la até setembro.

Leia mais: Rússia descarta confinamento, apesar do 4º recorde de mortes

Nesse sentido, explicou que algumas tropas americanas continuarão no país asiático em setembro dentro do processo de "redução racional" com os aliados.

Depois de ser questionado três vezes por jornalistas sobre o Afeganistão, Biden ficou exasperado e disse: "Não vou responder a mais perguntas sobre o Afeganistão".

Em seguida, visivelmente irritado, acrescentou: "Olhem, é 4 de julho... Este é um fim de semana de feriado, vou comemorá-lo, temos coisas importantes acontecendo".

Últimas