Internacional Biden deve anunciar primeiros integrantes do gabinete na 3ª (24)

Biden deve anunciar primeiros integrantes do gabinete na 3ª (24)

Anúncio foi feito neste domingo (22) por Ron Klain, escolhido por Joe Biden como seu futuro chefe de gabinete na Casa Branca

O democrata Joe Biden, apontado como vencedor das eleições norte-americanas

O democrata Joe Biden, apontado como vencedor das eleições norte-americanas

ROBERTO SCHMIDT / AFP

O democrata Joe Biden, apontado nas projeções da imprensa como vencedor das eleições presidenciais dos Estados Unidos, anunciará na próxima terça-feira (24) os primeiros integrantes da equipe que comporá seu governo, anunciou neste domingo aquele que será seu chefe de gabinete na Casa Branca, Ron Klain.

"Vocês verão os primeiros anúncios dos membros do gabinete na terça-feira", declarou Klain durante uma entrevista para a emissora "ABC News", na qual deixou claro que os nomes serão divulgados pelo próprio Biden.

O futuro chefe de gabinete não deixou claro, não entanto, se o anúncio incluirá algumas das figuras mais esperadas, tais como os secretários de Estado, do Tesouro ou da Justiça.

Biden afirmou durante esta semana que já havia decidido quem seria seu secretário do Tesouro e que faria o anúncio antes ou depois do feriado de Ação de Graças, que é na próxima quinta-feira (26).

Tanto a ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Janet Yellen quanto a senadora Elizabeth Warren foram especuladas no cargo, mas Biden se recusou a confirmar e apenas previu que a pessoa que ele selecionou satisfará os democratas mais moderados e também os mais progressistas.

Os indicados por Biden terão que ser confirmados pelo Senado, cujo controle será definido apenas depois que duas eleições especiais sejam realizadas na Geórgia, em 5 de janeiro.

O democrata já anunciou alguns assessores que o acompanharão à Casa Branca, como o próprio Klain, embora esses funcionários não precisem da aprovação do Congresso, ao contrário daqueles do Gabinete.

Na entrevista à ABC, o futuro chefe de gabinete também disse que a posse de Biden, marcada para 20 de janeiro, precisará ter alterações em relação às tradições americanas devido à pandemia. Com a crise sanitária, não é apropriado reunir dezenas de milhares de pessoas no centro de Washington.

Em relação à obstrução do processo de transição por parte do presidente Donald Trump, Klain frisou que os ataques do republicano não mudarão os resultados das urnas.

"Joe Biden fará o juramento de posse, e Trump deixará a Casa Branca antes disso. Mas quanto dano ele fará à nossa democracia antes de partir?", questionou.

Últimas