Internacional Bolívia diploma Luis Arce Catacora como presidente do país

Bolívia diploma Luis Arce Catacora como presidente do país

Credenciais foram entregues pelo o presidente do órgão eleitoral, Salvador Romero; cerimônia de posse está marcada para o dia 8 de novembro

  • Internacional | Do R7

Luis Arce Catacora e David Choquehuanca receberam diploma nesta quarta (28)

Luis Arce Catacora e David Choquehuanca receberam diploma nesta quarta (28)

Divulgação

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) entregou formal e oficialmente as credenciais ao presidente e ao vice-presidente eleitos nas eleições de outubro, Luis Arce Catacora e David Choquehuanca, respectivamente.

O evento, realizado nas instalações do Banco Central da Bolívia, contou com a participação de autoridades eleitas, imprensa e população. A partir de 8 de novembro, eles estão encarregado de dirigir o país.

“Recebi o diploma que me credencia como Presidente eleito do Estado Plurinacional da Bolivia. Ratifico meu compromisso com o trabalho e o amor à Pátria. Obrigado ao povo boliviano pela confiança. Vamos sair adiante", disse Arce em suas redes sociais.

“Com muita alegria, junto com nosso irmão Lucho, recebemos nossas credenciais que nos credenciam como Presidente e Vice-Presidente eleito da Bolivia. Chegou a hora de trabalhar pelo nosso querido país, unidos vamos sair adiante”, publicou Choquehuanca por sua vez.

Durante o discurso de posse, o presidente do TSE Salvador Romero, destacou que o processo eleitoral se caracterizou pela transparência dos membros e pelo ótimo desempenho técnico durante as eleições, o que permitiu obter resultados que refletem a verdadeira vontade do povo boliviano.

“Hoje entregamos as credenciais de presidente eleito e vice-presidente a Luis Arce e David Choquehuanca, porque tal era a vontade e a preferência dos bolivianos”, disse na ocasião o representante máximo do Órgão Eleitoral.

Em 18 de outubro, os bolivianos foram às urnas onde decidiram, por mais de 55% dos votos, eleger Arce e Choquehuanca como as principais autoridades nacionais. Nesse sentido, Romero saudou a aceitação dos resultados por parte dos demais partidos políticos e organismos internacionais que atuaram como supervisores do processo.

Últimas