Reino Unido

Internacional Boris Johnson e seu gabinete receberam mais de 50 multas por festas durante confinamento

Boris Johnson e seu gabinete receberam mais de 50 multas por festas durante confinamento

Eventos incluíram desde festas de Natal até uma grande despedida de um funcionário na véspera do funeral do príncipe Philip

AFP
Polícia investiga há meses denúncias de festas em Downing Street durante confinamento

Polícia investiga há meses denúncias de festas em Downing Street durante confinamento

Daniel LEAL / AFP

A polícia londrina anunciou, nesta terça-feira (12), ter imposto mais de 50 multas em virtude de sua investigação sobre infrações às regras de confinamento por parte do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o pessoal de seu gabinete em Downing Street.

A Scotland Yard está há meses investigando denúncias de que Johnson e membros de sua equipe organizaram várias festas e outros eventos sociais e participaram deles, enquanto estavam proibidos durante os confinamentos de 2020 e 2021 contra a Covid-19.

"A investigação (...) segue avançando", afirmou a polícia em um comunicado. "Até esta terça, 12 de abril de 2022, enviamos mais de 50 notificações de multas (...) por infração da normativa da Covid-19", apontou o organismo.

Boris Johnson negou as festas no lockdown, mas depois pediu desculpa pelo ocorrido

Boris Johnson negou as festas no lockdown, mas depois pediu desculpa pelo ocorrido

Daniel LEAL / AFP

Em março, a polícia já havia anunciado uma primeira série de 20 multas, mas sem revelar a identidade dos multados.

Esse anúncio reviveu o escândalo chamado "partygate", que fez Johnson temer por sua sobrevivência política por causa dos pedidos de renúncia feitos pela oposição e por vários deputados do próprio Partido Conservador dispostos a lançar uma moção de censura interna.

Após a primeira série de multas, o porta-voz do primeiro-ministro declarou que o chefe de Governo não figurava entre os multados. Downing Street ainda não reagiu ao novo anúncio.

Johnson pediu desculpas pelas festas, que incluíram desde celebrações natalinas até a massiva despedida de um funcionário na véspera do funeral do príncipe Philip, esposo da rainha Elizabeth 2ª, a cujo enterro só puderam ir 30 pessoas socialmente distanciadas devido às restrições impostas pela crise sanitária.

O primeiro-ministro, de 57 anos, que inicialmente negou que houvesse festas nos cômodos de Downing Street, onde vive e trabalha, afirmou sistematicamente não ter cometido pessoalmente nenhuma infração.

No entanto, ele ainda poderá ser multado se não conseguir explicar adequadamente por que participou de algumas dessas reuniões sociais quando seu governo as havia proibido aos britânicos, para conter a propagação do coronavírus.

Desde então, a invasão russa da Ucrânia mudou o foco de atenção dos meios de comunicação e da opinião pública, aliviando a pressão política sobre Johnson.

Últimas