Brasileira é morta por polícia de Lisboa em perseguição a assaltantes

Carro da vítima foi confundido com veículo utilizado em roubo

Casal saía de casa na hora da perseguição; motorista não tinha carta

Casal saía de casa na hora da perseguição; motorista não tinha carta

Reprodução/dn.pt

A brasileira Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, foi morta por engano na madrugada desta quinta-feira (16) pela polícia de Lisboa, em Portugal, após uma perseguição a assaltantes. As informações são do jornal português Diário de Notícias. 

Segundo nota enviada ao R7 pela PSP (Polícia de Segurança Pública portuguesa), o incidente se deu por volta das 3h35 da manhã no horário local (1h35 no horário de Brasília) no bairro de Encarnação, localizado no extremo nordeste da capital portuguesa.

O carro em que Ivanice estava com seu namorado, também brasileiro, foi confundido com um veículo utilizado por criminosos em um roubo a banco por volta das 3h. 

— Pelas 3h35, na zona da Encarnação, foi detectado, por elementos policiais, um veículo que aparentava corresponder às características do veículo suspeito, cujo condutor desobedeceu à ordem de paragem. Este veículo, durante a fuga, tentou atropelar os polícias, que tiveram de afastar-se rapidamente para não serem atingidos e, em ato contínuo, foram obrigados a recorrer a armas de fogo. Mais à frente, o veículo voltou a desobedecer à ordem de paragem por outra equipe de polícias, tendo sido interceptado pouco tempo depois.

A imprensa local afirma que a brasileira se encontrava em um Megane preto, da fabricante Renault, enquanto os agentes procuravam por um Seat Leon da mesma cor. Pelo menos 20 disparos foram feitos pela PSP (Polícia de Segurança Pública portuguesa) na direção do carro em que a vítima se encontrava — ela foi atingida no pescoço. Trata-se da primeira morte de um civil pelos agentes no ano de 2017. A mulher trabalhava no Aeroporto de Lisboa e entraria no serviço às 4h da manhã. A corregedoria da polícia portuguesa, IGAI (Inspeção Geral da Administração Interna) abriu um inquérito para investigar o caso.

— De imediato a cidadã ferida foi assistida pelos agentes e pelos meios de emergência chamados ao local. Apesar de todos os esforços, a vítima, acabaria por falecer. O homem que conduzia o veículo foi detido por condução sem habilitação legal, por desobediência ao sinal de paragem e por condução perigosa. A PSP lamenta a morte da cidadã envolvida na ocorrência. 

A Embaixada brasileira em Lisboa emitiu nota em que lamenta o ocorrido e afirma que o consulado prestará todo o apoio cabível à família da vítima. 

— Tomou-se conhecimento, hoje, 16 de novembro, de que a pessoa morta em ação policial durante a madrugada de ontem, em Lisboa, era nacional brasileira. A Embaixada lamenta profundamente o ocorrido. A família da vítima já entrou em contato com o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa, que prestará o apoio cabível. A Embaixada acompanha atentamente o caso e aguarda novas informações a respeito do inquérito com vistas a determinar o curso de ação a ser tomado.

O Portal R7 tentou contato com o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, mas não obteve resposta até o fechamento desta reportagem.