Internacional Brasileiros em alto mar pretendem ancorar em ilha e seguir até Taiti

Brasileiros em alto mar pretendem ancorar em ilha e seguir até Taiti

Após 48h à deriva, irmãos têm plano de instalar novo leme em terra firme. 'Sensação de impotência é cruel', diz post no Instagram

  • Internacional | Carolina Vilela, do R7*

Irmãos perderam o leme do veleiro durante viagem

Irmãos perderam o leme do veleiro durante viagem

Reprodução/Instagram @veleiro.katoosh

Lucas e Neto, brasileiros que perderam o leme do veleiro em que viajam na Polinésia Francesa e estão a deriva em alto mar, informaram em publicação feita no Instagram, nesta sexta-feira (5), que pretendem ancorar em uma ilha a 43 quilômetros de onde estão antes de seguir viagem para o Taiti. 

Em atualização, eles contam que foram atingidos por uma grande onda que fez com que o veleiro virasse para a direção oposta a que se dirigiam. "Se não virássemos o barco para a posição correta, em algumas horas o Katoosh estaria se chocando com a costeira".

Lucas compartilhou todos os "perrengues" que passaram para conseguir virar o barco. Entre eles, uma onda que virou o bote e o cabo que segurava as boias estava enroscando na hélice do veleiro. "Essa sensação de impotência, aliada a pressão de ter que resolver o problema logo é cruel."

Após três horas tentando virar o barco sem a ajuda da maré, o brasileiro conta que "as ondas que estavam atrapalhando o processo, resolveram colaborar". Outra forte onda atingiu o veleiro e fez com que a embarcação girasse para o lado certo, mas outro problema aflingiu os irmãos: a previsão do tempo para sábado havia mudado: "Os ventos e ondas continuarão não sabemos por mais quanto tempo".

Plano B

Em meio a todo o caos que estavam passando, Lucas conta o casal com quem estão em contato informou que existe um lugar onde eles talvez possam ancorar a 46 quilômetros de onde estão. Chegar ao lugar se tornou o objetivo dos irmãos.

"Podemos esperar tranquilamente as condições melhorarem, finalmente instalar o nosso leme reserva e então velejar até o Taiti, que está a  463 quilômetros e é o local mais próximo em que podemos tirar o barco da água e instalar um novo leme."

Consulado se coloca a disposição

Após a publicação sobre a atualização dos irmãos Lucas e Neto, o consulado brasileiro em Sydney se colocou à disposição caso eles precisem de algum auxília. "Contem com a gente!", diz o comentário feito na publicação.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Raphael Hakime

Últimas