Internacional Brasileiros imigrantes buscam o Canadá para viver sonho americano

Brasileiros imigrantes buscam o Canadá para viver sonho americano

Desde que Donald Trump assumiu e endureceu políticas de imigração nos EUA, o vizinho do norte recebe mais pedidos de residência de brasileiros

brasileiros imigrantes canadá

29.315 brasileiros tem visto permanente no Canadá

29.315 brasileiros tem visto permanente no Canadá

Getty Images/Gregory Shamus/30.9.2017

A América do Norte sempre foi um dos principais destinos de brasileiros que saem do país para tentar melhorar de vida, mas o favorito EUA vem perdendo espaço para o seu vizinho, Canadá, especialmente desde a eleição de Donald Trump. A terra dos alces, dos ursos e do frio recebe cada vez mais pedidos de residência permanente de cidadãos brasileiros.

De acordo com dados do Statistics Canada, em 2016, ano da eleição norte-americana, o número de brasileiros aprovados com visto permanente no país foi de 1.725 e no ano seguinte, esse número saltou para 2.760. Até abril deste ano, os pedidos já passavam de 1.500.

As políticas de imigração do Canadá são bastante receptivas. O país tem mais de 60 programas de imigração. O maior deles, o Express Entry, busca jovens com formação técnica, especialmente em áreas da saúde e tecnologia da informação.

Mas o interesse pelo Canadá pode ter mais a ver com a política de imigração dos Estados Unidos. O interesse de imigrantes de todo o mundo pelo país aumentou no ano em que Donald Trump foi eleito presidente dos EUA.

Na noite em que o candidato republicano superou a democrata, Hilary Clinton, o site de imigração canadense chegou a sair do ar.

"O número de pessoas pedindo asilo no Canadá quadriplicou”, afirmou Mariana Chagas, 39, que mora no país há dez anos e trabalha como consultora regulamentada de imigração canadense.

Brasil no top 30

O Brasil está na lista dos países que mais "perderam" habitantes para o Canadá, figurando no Top 30 do ranking das nacionalidades que mais conseguiram virar residentes permanentes no país entre 2010 e 2016.

Atualmente, o número de brasileiros com vistos permanentes no país é de 29.315, de acordo com o Statistics Canada, departamento do governo federal que é encarregado de produzir as estatísticas sobre a população canadense.

Há ainda um outro grande número de pessoas que saem do Brasil rumo às cidades canadenses para estudar ou trabalhar de forma temporária.

Acompanhando profissionalmente este movimento, a brasileira Mariana aponta que, em um ano, o número de brasileiros no país cresceu 28%. “Quando cheguei aqui em 2008, era raro escutar pessoas falando português nas ruas. Hoje já virou algo normal. Você sempre ouve alguém falando português na rua, na fila do banco, ou do supermercado”.

Arte R7

Canadá é o oitavo país mais seguro do mundo

Um relatório divulgado anualmente pelo Global Peace Index, responsável por apontar os lugares mais seguros e perigosos do mundo, colocou o Canadá como o sexto país mais seguro do mundo e esse é um dos principais motivos que faz com que muitos brasileiros não queiram sair de lá.

"Queria viver uma rotina sem neuras e sem medo de ser assaltada em qualquer esquina ou farol fechado a noite", afirmou Jenifer Garcia Rossi, 30, tradutora e estudante de publicidade em Toronto, que mora no país há seis meses.

Neste mesmo relatório, o Brasil ficou na 106° posição e, por isso, Jenifer não tem vontade de voltar para o país onde nasceu. "Creio que se desembarcar em São Paulo hoje, eu perderia meu celular em 10 minutos. Estou tão acostumada a não me preocupar em andar sem esconder minhas coisas que seria um alvo fácil", afirmou a estudante.

Daniel Luiz Cruz Azevedo, 28, morou no Canadá durante três anos e hoje é um dos brasileiros que está esperando resposta sobre o pedido de residência permanente no país. Para ele, a maior diferença entre o Canadá e o Brasil, além da segurança, é a civilidade das pessoas.

Daniel, que trabalha com pós-produção na área de cinema e vídeo, conta que no Canadá o transporte público é muito bom e que as pessoas se sentem na responsabilidade de preservar o serviço. Ele cita um exemplo: nos trens e ônibus, quase não há verificação de pagamento dos passageiros e, caso alguém queira, pode burlar o sistema facilmente. Mas para os canadenses, isso não faz sentido. Daniel ouviu de amigos que não pagar a passagem não faz sentido, porque sem este dinheiro, o sistema não teria como funcionar.

"É um exemplo simples e ilustrativo ao mesmo tempo", diz Daniel. "A mentalidade das pessoas é outra e eu pessoalmente acredito que viver num lugar onde você não precise estar o tempo todo com as defesas em pé seja mais fácil e menos estressante."

*Estagiária do R7 sob supervisão de Cristina Charão