Reino Unido

Internacional Britânicos encontram navio que afundou com rei no século 17

Britânicos encontram navio que afundou com rei no século 17

Restos da embarcação foram localizados em águas internacionais em 2007 e foram mantidos em segredo até os dias de hoje

AFP

Resumindo a Notícia

  • Quatro britânicos encontraram o navio Gloucester, que naufragou em 1682
  • Embarcação transportava o rei James 2º, supostamente um dos culpados pelo naufrágio
  • Destroços foram localizados em 2007, mas o achado foi mantido em segredo até este ano
  • Planeja-se uma exposição em 2023 para exibir peças encontradas do Gloucester
Navio transportava James 2º, que no futuro viria a ser o rei da Inglaterra

Navio transportava James 2º, que no futuro viria a ser o rei da Inglaterra

UEA/Norfolk Historic Shipwrecks/AFP

A Universidade da Ânglia Oriental anunciou nesta sexta-feira (10) o descobrimento do Gloucester, navio britânico que naufragou em 1682 e teve como sobrevivente James 2º, que viria a ser rei da Inglaterra, um delicado achado mantido em segredo por 15 anos.

Os famosos destroços estavam enterrados no fundo do mar quando dois irmãos, Julian e Lincoln Barnwell, acompanhados de seu pai e dois amigos, os encontraram em 2007, após quatro anos de busca, na costa de Norfolk, leste da Inglaterra.

A descoberta se manteve em segredo até hoje para permitir a identificação dos restos e para protegê-lo, já que está em águas internacionais, explicou a universidade britânica em um comunicado.

"É um excepcional exemplo do patrimônio cultural subaquático, de importância nacional e internacional", comentou a professora Claire Jowitt, especialista em história marítima.

"É a descoberta marítima mais importante desde o ‘Mary Rose’", que afundou em 1545 e foi achado nos anos 1980, afirmou a especialista, "pela antiguidade e o prestígio do navio, o estado dos destroços, os objetos recuperados e o contexto político do acidente".

O Gloucester afundou em menos de uma hora em 6 de maio de 1682, em frente à costa da cidade de Great Yarmouth, por um desentendimento entre o futuro rei James 2º e o comandante sobre como lidar com uma área repleta de bancos de areia.

Morreram cerca de 250 membros da tripulação, mas James 2º se salvou.

Está prevista para 2023 uma exposição que mostrará os objetos encontrados entre os destroços, como o sino que permitiu a identificação do navio.

Últimas