Internacional Candidato sofre atentado durante campanha eleitoral no Paraguai

Candidato sofre atentado durante campanha eleitoral no Paraguai

Segundo autoridades paraguaias, esse foi o terceiro ataque aos postulantes a cargos das eleições municipais no país

Agência EFE
Paraguaios vão às urnas no próximo domingo (10)

Paraguaios vão às urnas no próximo domingo (10)

Divulgação: Justiça Eleitoral do Paraguai

Um candidato a prefeito saiu ileso de um atentado nesta quarta-feira (6) ocorrido no sudeste do Paraguai, país onde três candidatos a cargos municipais nas eleições locais do próximo domingo (10) já foram assassinados.

Nelson Cano, candidato independente a prefeito da cidade de Hernandarias, na fronteira com o Brasil, disse a várias emissoras que o atentado ocorreu quando ele viajava de carro em uma estrada rural com o filho.

De acordo com seu depoimento, dois homens em uma motocicleta dispararam vários tiros contra o veículo sem atingir os ocupantes. Esse é o último incidente violento às vésperas das eleições, após o assassinato, na semana passada, de dois candidatos a vereador em dois municípios.

Uma semana antes, um candidato do Partido Colorado em Itakyry, no departamento de Alto Paraná, havia sido assassinado. O Ministério Público acusou um candidato a prefeito do município, que está foragido.

A Polícia Nacional destacará mais de 10 mil agentes durante e após as eleições, as primeiras a serem realizadas com urnas eletrônicas e listas desbloqueadas. O TSJE (Tribunal Superior de Justiça Eleitoral) está finalizando a operação logística e nesta manhã procedeu à transferência das urnas e outros materiais a todos os distritos.

Da mesma forma, as autoridades da entidade retomaram hoje as reuniões iniciadas no dia anterior com membros da missão de observação da OEA (Organização dos Estados Americanos). Os candidatos a 261 cadeiras somam 831, enquanto 15.535 concorrem a integrar os 2.781 lugares nos Conselhos Municipais.

Um total de 4.644.563 pessoas tem autorização para votar nos 28 partidos, 113 movimentos políticos, 118 alianças eleitorais e quatro coligações. O pleito marcará o mapa político do Paraguai antes das eleições legislativas e presidenciais de 2023, nas quais as disputas devem ficar centralizadas entre as principais formações: o Partido Colorado, atualmente no poder, e o Partido Liberal, o maior da oposição.

Um dos termômetros será o resultado das eleições municipais de Assunção, onde o partido no poder apresenta Óscar Rodríguez, que assumiu o cargo após a renúncia do jornalista Mario Ferreiro, há três anos, acusado de suposto envolvimento em um esquema de corrupção.

Em Ciudad del Este, a segunda maior cidade do Paraguai, o Colorado tem como candidato a prefeito Ulises Quintana, que foi preso em 2018 em uma operação antidrogas e acusado de tráfico.

Após ser libertado da prisão em novembro do ano passado, depois um tribunal de apelação ter revogado sua prisão preventiva, Quintana ingressou na Câmara dos Deputados. O político foi eleito em 2018, em campanha na qual teria usado fundos de um traficante preso naquela operação.

Últimas