Internacional Cãozinho é resgatado em meio às cinzas de incêndio na Grécia

Cãozinho é resgatado em meio às cinzas de incêndio na Grécia

O cachorro foi encontrado por voluntários que fizeram buscas para resgatar animais sobreviventes do incêndio que arrasou a cidade litorânea de Mati

cachorro resgatado incêndio grécia

O pequeno cachorro se abrigou em churrasqueira para fugir do incêndio na Grécia

O pequeno cachorro se abrigou em churrasqueira para fugir do incêndio na Grécia

Reprodução / Reuters

Desgrenhado e todo sujo, mal se podia distinguir o pequeno cão das pilhas de cinzas e destroços do que restou de uma churraqueira, ao lado de uma casa destruída pelo incêndio que arrasou Mati, na Grécia.

Tossindo e com medo, foi preciso algumas horas até que ele fosse persuadido pela voz reconfortante de Artemis Kyriakopoulou, 21, a sair de dentro do seu esconderijo. 

Acompanhe o noticiário internacional no R7

"Ele estava (em estado de choque). E a cada movimento ele reagia rosnando, mordendo. Eu lhe oferecia comida e ele mordia minha mão ... ele dormia por horas sem fim ... Então ele recebeu um presente, nós encontramos o que ele gostava de comer, então nos tornamos amigos ", disse ela à Reuters TV.

Artemis faz parete de uma equipe de voluntários que se uniram nas redes sociais para resgatar animais do incêndio que matou 96 pessoas, deixou centenas de feridos e deixou um rastro de destruição na cidade litorânea grega.

Cão teve queimaduras leves

Batizado de Loukoumaki, o cãozinho foi tratado das apenas queimaduras leves em sua pele.

Um veterinário prescreveu antibióticos para a tosse do cão e disse aos voluntários que, se a pele não estivesse tão emaranhada, as queimaduras teriam sido muito piores.

Loukoumakis está com Diana em um abrigo

Loukoumakis está com Diana em um abrigo

Costas Baltas / Reuters / 31.7.2018

Depois de banhado e tosado, Loukomakis voltou a abanar o rabo e brincar. Ele está em um abrigo, mantido pela também voluntária Diana Topali, que ficará com ele até que um lar permanente seja encontrado.

Artemis contou que viu a estrutura de tijolos e pensou que se alguma coisa tivesse sobrevivido, estaria escondida ali.

"No começo, senti (alívio) porque ele estava vivo", disse Artemis. "Eu chorei muito... porque encontrar algo tão vivo em uma área tão destruída onde tudo está morto, você vê que há esperança."

Imagens para não esquecer

Ela disse que foi a primeira vez que se ofereceu como voluntária para qualquer coisa, e ficou impressionada com o que viu.

Artemis mostra local onde encontrou o cãozinho

Artemis mostra local onde encontrou o cãozinho

Costas Baltas / Reuters / 31.7.2018

"A verdade é que nunca fiz nada tão importante na minha vida. Quando disse que queria ser voluntária, contribuir, nunca imaginei que seria assim. Pensei que seria algo mais leve", disse ela.

O grupo viu inúmeros animais que morreram, ela disse, mais do que eles poderiam salvar.