China

Internacional Censura de vídeo sobre confinamento em Xangai enfurece usuários da web

Censura de vídeo sobre confinamento em Xangai enfurece usuários da web

Gravação apresenta 20 trechos de áudio de moradores confinados que não conseguem comprar comida, remédios, nem ir ao hospital

  • Internacional | Da AFP

Cena do vídeo Siyue Zhi sheng (As Vozes de Abril), censurado na China

Cena do vídeo Siyue Zhi sheng (As Vozes de Abril), censurado na China

Reprodução/YouTube

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostrando as repercussões do confinamento de Xangai sobre seus habitantes foi excluído da Internet chinesa pelos censores, provocando questionamentos e até revolta dos usuários neste sábado (23).

Intitulado "Siyue Zhi sheng" ("As vozes de abril"), o vídeo de seis minutos é uma sequência de Xangai filmada do alto. A estas imagens em preto e branco, o autor acrescentou, em ordem cronológica, uma sucessão de sons extraídos de coletivas de imprensa, vídeos publicados nas redes sociais e telefonemas dos moradores.

O vídeo começa com as vozes de líderes políticos que, no início do surto de coronavírus em março passado, disseram que um curto confinamento preventivo não era uma boa ideia, devido às suas repercussões econômicas.

A gravação então apresenta 20 trechos de áudio de moradores confinados que não conseguem comprar comida, remédios, nem ir ao hospital, entre outros relatos que descrevem, também, o caos nos centros de quarentena instalados pelo governo.

O vídeo foi amplamente compartilhado na noite de sexta-feira (22) na rede social WeChat, mas os censores conseguiram apagar qualquer rastro dele em poucas horas.

Em sinal de revolta, muitos usuários do WeChat compartilharam clipes musicais de duas canções com letras de contestação, como "Do You Hear the People Sing?", do musical "Les Misérables", e "Another Brick In The Wall", do grupo Pink Floyd. A primeira é um chamado à rebelião. A segunda critica, em particular, o "controle do pensamento".

O vídeo pode ser visto no YouTube, embora esse portal seja inacessível na China sem recurso a uma rede virtual privada (VPN), o que permite evitar os bloqueios.

Nas últimas semanas, muitos moradores de Xangai criticaram nas redes sociais situações administrativas classificadas como "absurdas", devido ao confinamento. Vários vídeos foram censurados, mas muitos viralizam na Internet antes de serem bloqueados.

Com uma população de 25 milhões de pessoas, a capital econômica da China enfrenta seu pior surto de Covid-19 desde o início da pandemia.

Últimas