Internacional Cerca de 20 mil mercenários estão lutando pela Rússia na Ucrânia

Cerca de 20 mil mercenários estão lutando pela Rússia na Ucrânia

Uma fonte da agência AFP diz que soldados do Grupo Wagner estão atuando por Moscou em território ucraniano

AFP
Soldados russos contam com a ajuda de mercenários na guerra na Ucrânia

Soldados russos contam com a ajuda de mercenários na guerra na Ucrânia

Alexander Nemenov/AFP - 12.04.2022

Até 20 mil mercenários da empresa militar privada russa Grupo Wagner, e outros procedentes de Síria e Líbia, estão lutando ao lado das forças de Moscou na Ucrânia, disse nesta terça-feira (19) uma fonte da AFP.

"De acordo com suas capacidades, são efetivos de infantaria. Não têm veículos nem armas pesadas. São claramente de infantaria", afirmou a fonte, em condição de anonimato, a jornalistas em Washington.

"Esses efetivos são utilizados principalmente como massa contra a resistência ucraniana", destacou o funcionário.

A fonte explicou que, dos 10 mil a 20 mil mercenários que se calcula que participam da invasão, é difícil dizer quantos são do Grupo Wagner, uma organização que é apontada como próxima do presidente russo Vladimir Putin, e quantos são de Síria e Líbia.

A fonte disse que houve alguma "transferência" de combatentes de Líbia e Síria para a região do Donbass, no leste da Ucrânia.

No fim de março deste ano, o Ministério da Defesa do Reino Unido disse que mais de mil mercenários do Grupo Wagner poderiam estar participando dos combates na Ucrânia, incluídos altos dirigentes dessa organização.

A fonte da AFP disse que, em quatro ou seis meses, a guerra provavelmente terá chegado a um ponto morto, com as tropas russas controlando Lugansk, que é parte do Donbass, e uma pequena ponte terrestre dentro da província de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia.

Além disso, a fonte previu que, até o próximo outono (no Hemisfério Norte), poderiam ser concluídas as negociações entre Rússia e Ucrânia, o que resultaria no fim da guerra antes do início do próximo inverno.

Últimas