Internacional Chefes de Estado se reúnem em Assembleia-Geral da ONU a partir desta terça-feira (20)

Chefes de Estado se reúnem em Assembleia-Geral da ONU a partir desta terça-feira (20)

Guerra entre Rússia e Ucrânia deve ser um dos pontos principais de discussão, assim como questões ligadas ao aquecimento global; Zelenski vai discursar por mensagem de vídeo 

  • Internacional | Do R7, com AFP e Reuters

Resumindo a Notícia

  • Participantes se reunirão pessoalmente em Nova York
  • Dos 193 países-membros, 101 votaram a favor do discurso de Zelenski por meio de vídeo
  • Sete países-membros votaram contra, incluindo a Rússia, e 19 se abstiveram
  • Outro ponto importante deve girar em torno da retomada do Irã no acordo nuclear de 2015
Assembleia-Geral da ONU se reúne em homenagem à rainha Elizabeth 2ª

Assembleia-Geral da ONU se reúne em homenagem à rainha Elizabeth 2ª

Mike Segar/Reuters - 20.09.2022

Cerca de 150 chefes de Estado e de Governo se reúnem a partir desta terça-feira (20) para o início dos debates da 77ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, que ocorre em Nova York, nos Estados Unidos.

Esta será a primeira vez que os participantes se reunirão pessoalmente desde o início da pandemia de Covid-19. Na última sexta-feira (16), os Estados-membros da ONU autorizaram excepcionalmente o presidente ucraniano Volodmir Zelenski a falar por mensagem de vídeo na Assembleia-Geral.

Dos 193 países membros, 101 votaram a favor da medida, que cria uma exceção à regra do discurso presencial e permite que Zelenski "entregue uma declaração pré-gravada". Sete países membros votaram contra, incluindo a Rússia, e 19 se abstiveram, entre eles o Brasil.

A guerra entre Rússia e Ucrânia deve ser um dos pontos principais de discussão da Assembleia, assim como questões ligadas ao aquecimento global. Na semana passada, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu aos líderes mundiais que ajam contra o aumento da temperatura do planeta para não "afogar" o mundo.

Outro ponto importante da assembleia deve girar em torno da retomada do Irã no acordo nuclear de 2015 com potências mundiais. Na última segunda-feira (19), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Nasser Kanaani, disse que o país não descarta a possibilidade de uma reunião à margem do encontro sobre o assunto. 

O presidente Jair Bolsonaro fará o discurso de abertura da Assembleia-Geral nesta terça-feira. O Brasil é, por tradição diplomática, o país que faz o primeiro discurso da reunião. 

Ucrânia encontra corpos enterrados em floresta de Izium

Últimas