Internacional China convoca embaixador dos EUA por visita de Pelosi a Taiwan

China convoca embaixador dos EUA por visita de Pelosi a Taiwan

Presidente da Câmara dos Representantes é a mais alta autoridade americana a visitar a ilha em 25 anos

AFP
Presidente da China, Xi Jinping

Presidente da China, Xi Jinping

Yoan Valat/Reuters - 25.03.2019

A China convocou, nesta terça-feira (2), o embaixador dos Estados Unidos em Pequim, em resposta à chegada a Taiwan da presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, informou a mídia estatal.

Durante a conversa com o embaixador Nicholas Burns, o vice-ministro de Relações Exteriores chinês, Xie Feng, expressou "fortes protestos" pela visita da legisladora americana à ilha autônoma, que a China considera parte de seu território.

"A medida é extremamente ultrajante, e as consequências são extremamente sérias", disse Xie à agência de notícias estatal chinesa Xinhua. "A China não ficará de braços cruzados", acrescentou.

A viagem de Pelosi, a mais alta autoridade dos Estados Unidos a visitar Taiwan em 25 anos, alimentou as tensões entre as duas maiores economias do mundo, com Pequim chamando a visita de uma grande provocação.

Xie disse que os Estados Unidos "pagarão o preço de seus próprios erros" e pediu a Washington que "aborde imediatamente seus erros e tome medidas práticas para desfazer os efeitos adversos causados pela visita de Pelosi a Taiwan", informou a agência Xinhua.

A democrata chegou a Taiwan nesta terça-feira à tarde, desafiando abertamente as advertências chinesas.

"Taiwan é Taiwan da China, e Taiwan acabará voltando para o abraço da pátria. O povo chinês não tem medo dos fantasmas, da pressão e do mal", disse Xie a Burns, de acordo com a agência Xinhua.

Não houve comentários imediatos de Washington.

Entenda a tensão histórica entre China e Taiwan em sete pontos

Últimas