Internacional China deve autorizar venda de 600 milhões de doses de vacinas

China deve autorizar venda de 600 milhões de doses de vacinas

Três companhias chinesas estão na terceira fase de testes clínicos e podem anunciar resultados em breve, a Sinovac, a Sinopharm e a Casino Biologics

vacina chinesa

vacina chinesa

EFE/EPA/YAN YAN/XINHUA

A China deve autorizar a venda de 600 milhões de doses das vacinas contra o novo coronavírus produzidas no país, segundo informou nesta sexta-feira (4) o subdiretor da equipe de pesquisa e desenvolvimento de vacinas do Conselho de Estado, Yang Junzhi.

"Será aprovada a comercialização de um total de 600 milhões de doses de vacinas inativadas neste ano. Haverá notícias muito em breve, em uma ou duas semanas", disse o especialista, durante uma conferência realizada na cidade de Wuhan, conforme publicou o jornal local "The Paper".

As autoridades chinesas autorizaram, ainda em 22 de julho, o uso de candidatas à vacina contra o novo coronavírus, para alguns casos. A expectativa agora é que 610 milhões de doses sejam fabricadas até o fim deste ano. Já em 2021, a meta é produzir 1 milhão de doses.

Moscou abrirá centros de vacinação de covid-19 no sábado, diz prefeito

Três companhias chinesas estão na terceira fase de testes clínicos e podem anunciar resultados em breve, a Sinovac, a Sinopharm e a Casino Biologics.

Outra vacina produzida pela Sinopharm já concluiu a etapa de número 3, e a empresa solicitou no último dia 24 à Autoridade Estatal de Alimentação e Medicamentos da China a aprovação para saída ao mercado, pedido que ainda não teve resposta.

Além disso, devem ser somadas as produzidas em consórcio, entre a chinesa Fosun Pharma, a americana Pfizer, e a alemã BioNTech.

"Tudo isso é o resultado das capacidades, tecnologia e da experiência acumulada na pesquisa e desenvolvimento de vacinas ao longo dos anos e reflete as vantagens tecnológicas e institucionais do país", afirmou Wang.

O subdiretor da equipe de pesquisa e desenvolvimento de vacinas do Conselho de Estado explicou que as vacinas inativadas são as mais próximas á estrutura natural do vírus, com isso a "resposta imunológica do corpo humano depois da aplicação é mais forte".

Wang ainda destacou que se trata de vacina mais estável e que pode ser transportada a temperaturas de 2 a 8 graus, bem mais altas do que outras que estão sendo colocadas no mercado.

EUA superam marca de 3 mil mortes diárias por covid-19

O estado de São Paulo já adquiriu 46 milhões de doses da Coronavac, produzida pela Sinovac. Ontem, o governador João Doria, inclusive, já anunciou intenção de iniciar campanha de imunização em janeiro.

A vacina, no entanto, só estará disponível para os paulistas depois que seja verificada sua eficácia, o que acontecerá após o encerramento da terceira fase de testes clínicos.

A Turquia, por sua vez, anunciou que iniciará já na próxima sexta-feira uma ampla campanha de vacinação, com o agente imunológico produzido pela Sinovac. Os primeiros alvos serão profissionais de saúdes.

A expectativa do governo local é vacinar 10 milhões pessoas até o fim de janeiro do ano que vem.

Últimas