Rússia x Ucrânia

Internacional CIA afirma que presidente chinês está 'preocupado' com 'dificuldades russas' na Ucrânia

CIA afirma que presidente chinês está 'preocupado' com 'dificuldades russas' na Ucrânia

Xi Jinping também estaria de olho na repercussão da proximidade do governo da China com o líder da Rússia, Vladimir Putin

AFP
Presidente da China, Xi Jinping, durante evento oficial nesta terça-feira (8)

Presidente da China, Xi Jinping, durante evento oficial nesta terça-feira (8)

Leo Ramirez/AFP - 8.3.2022

O presidente da China, Xi Jinping, está "preocupado" com as "dificuldades" que a Rússia está enfrentando em sua invasão na Ucrânia, disse o diretor da CIA, William Burns, nesta terça-feira (8).

"Acho que o presidente Xi e a liderança chinesa estão um pouco preocupados com o que veem na Ucrânia", disse o funcionário a um comitê do Congresso dos Estados Unidos. "Eles não previram as dificuldades significativas que os russos encontrariam", explicou.

Quase duas semanas após a invasão, as tropas russas estão paralisadas na Ucrânia, tendo perdido até 4.000 soldados, de acordo com estimativa do Pentágono, e enfrentando uma resistência inesperadamente forte das forças ucranianas.

A China, que mantém boas relações com Moscou, até agora evitou condenar a invasão da Ucrânia e se limitou a "lamentar" o conflito, assegurando que "entende" as preocupações de segurança da Rússia.

Durante audiência no Congresso dos Estados Unidos, o chefe da CIA considerou ainda que a China estava “preocupada” com o impacto que a proximidade ao governo de Putin poderia ter na sua “reputação”, acompanhando também de perto as possíveis repercussões na economia chinesa.

Xi Jinping reiterou a oposição de princípio de seu país às sanções internacionais em uma ligação com os líderes da França e da Alemanha nesta terça-feira, dizendo que as medidas tomadas contra Moscou "causarão danos a todas as partes", segundo a imprensa chinesa.

No Congresso dos Estados Unidos, o diretor da CIA também considerou que a China estava "um pouco contrariada" com a maneira como "Vladimir Putin aproximou enormemente europeus e americanos".

Últimas