Internacional Ciclone deixa 122 mortos em Moçambique e no Malaui

Ciclone deixa 122 mortos em Moçambique e no Malaui

Em Moçambique, onde o ciclone deve tocar o solo nesta quinta-feira (14) na cidade de Beira, 66 pessoas já morreram

Ventos e chuvas devem atingir o Zimbábue

Ventos e chuvas devem atingir o Zimbábue

Reprodução/ Reuters

O impacto do ciclone tropical Idai causou pelo menos 122 mortes e deixou mais de 1 milhão pessoas afetadas em Moçambique e no Malaui desde o começo de março, informou nesta quinta-feira o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha).

Em Moçambique, onde o ciclone deve tocar o solo nesta quinta-feira (14) na cidade de Beira (sudoeste), 66 pessoas morreram, 111 ficaram feridas e 141 mil foram afetadas por inundações provocadas pelo Idai, de acordo com o Ocha. No vizinho Malaui, 56 morreram, 577 ficaram feridos e 922.900 pessoas foram afetadas pelos danos gerados pelo ciclone.

De acordo com o Ocha, as previsões indicam que o Idai provocará fortes ventos e chuvas nas províncias moçambicanas de Zambézia, Sofala, Manica e Inhambane de hoje até domingo. Potentes ventos e intensas chuvas poderiam castigar também o leste do Zimbábue e o sul do Malawi nos próximos dias, segundo o Escritório da ONU, que informou que existe "uma resposta humanitária em andamento" para ajudar os afetados.