Internacional Cinco pessoas foram mortas em avalanches nos Alpes franceses

Cinco pessoas foram mortas em avalanches nos Alpes franceses

Investigações indicam que as vítimas foram arrastadas pela neve em um corredor que se encontra a 3.200 metros de altitude

Esquiadores estavam a
 3.200 metros de altitude

Esquiadores estavam a 3.200 metros de altitude

Freepik

Cinco pessoas morreram nesta segunda-feira (3) em várias avalanches nos Alpes franceses, de acordo com fontes concordantes.

Três esquiadores morreram numa avalanche no maciço de Ecrins, informou uma fonte judicial. "Uma avalanche arrastou três pessoas, um guia e dois clientes. As três vítimas morreram", disse à AFP Florent Crouhy, promotor de Gap (sudeste).

Segundo os primeiros elementos da investigação, as três vítimas foram arrastadas pela neve em um corredor localizado a 3.200 metros de altitude, próximo ao refúgio Adèle Planchard, na comuna de Villar d'Arène, no departamento de Hautes Alpes.

A queda foi de cerca de 400 metros de altura e os corpos foram encontrados parcialmente cobertos de neve pelos salva-vidas e pela guarda da montanha, que chegou ao local de helicóptero, junto com um médico e um cão farejador. Uma investigação foi aberta.

Em Isère, no setor de Ailefroide, um homem de 55 anos e uma mulher de 50 anos morreram por uma avalanche causada por dois esquiadores que se encontravam em um nível superior, quando os primeiros subiam por uma passagem íngreme em uma geleira com seus esquis e mochilas.

"A passagem de dois esquiadores descendo uma encosta de 45 graus desencadeou uma avalanche que arrastou um grupo de quatro pessoas", disse a promotoria de Grenoble. Um terceiro membro do grupo quebrou um braço e o último escapou ileso.

Outra avalanche, no setor de Valjouffrey, surpreendeu três pessoas, uma das quais ficou gravemente ferida, segundo o jornal Le Dauphiné Libéré.

Os departamentos alpinos foram colocados sob alerta amarelo pela Météo France, pelo menos até terça-feira, devido aos riscos de avalanches.

A promotoria abriu uma investigação por "homicídio involuntário".

Últimas